Envie seu vídeo(11) 97569-1373
quarta 18 de setembro de 2019

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 17/09/2019
Centerplex 12/09 a 18/08
PMMC ENTREGAS
PMMC CIAS
Novo levantamento

Tribunal de Contas do Estado aponta 39 obras paralisadas ou atrasadas na região

Dados estão disponíveis na ferramenta ‘Painel de Obras Atrasadas ou Paralisadas’, no site do TCE-SP

Por Marcus Pontes e Fernando Barreto - da Região20 AGO 2019 - 19h56
Em Ferraz, o centro de convenções é uma das obras apontadas pelo relatórioFoto: Arquivo/DS
Atualizado às 11h11
 
O Alto Tietê tem 39 obras paralisadas ou atrasadas, segundo levantamento do Tribunal de Contas do Estado (TCE-SP). Salesópolis e Ferraz de Vasconcelos são os municípios com o maior número. Não há uma data para conclusão dessas obras, afirma relatório do TCE-SP.
 
Itaquaquecetuba e Suzano aparecem na sequência, com seis obras paradas ou atrasadas cada. Das três obras suzanenses, duas se referem à infraestrutura da região Norte, como no Badra Jaguari e no Badra Planalto. A terceira se refere ao atraso da re e ampliação do Hospital das Clínicas (HC) de Suzano.
 
Santa Isabel surge com três obras. Arujá e Biritiba Mirim tem duas cada. Das cinco principais cidades da região listadas no relatório do TCE-SP, Mogi das Cruzes e Poá têm apenas uma obra atrasada ou paralisada. Ambas se referem a questões educacionais. 
 
Em Mogi, por exemplo, a obra está atrasada. O TCE-SP não detalhe qual é a construção específica, mas, o valor estimado é de R$ 42,6 mil.
 
Relatório do tribunal, porém, aponta que, em Poá, a construção listada está paralisada por “inadimplemento da empresa contratada”. O levantamento mostra ainda que tal obra, que estava avaliada em R$ 822,6 mil, deveria ter sido entregue em novembro de 2012.
 
 
*Ao contrário do divulgado, o número de obras é de 39 e não 32. A reportagem foi atualizada com o atual número. A controvérsia se deu devido ao TCE-SP ter disponível dois links, distintos, para acesso ao Painel de Obras Atrasadas ou Paralisadas. Um novo levantamento deve ser realizado pelo órgão em outubro. Desta vez, com a presença de fiscais 'in loco', ou seja, pessoalmente*

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias