Envie seu vídeo(11) 97569-1373
terça 15 de outubro de 2019

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 14/10/2019
Villa Europa
Secom Segurança
Caderno D

Suzanense inova com vendas em estilo ‘La Casa de Papel’

Em entrevista ao DS, Victor Marcolongo conta que está no projeto há um mês e pretende ampliar as vendas

Por Isabelle Santini - de Suzano20 SET 2019 - 23h38
Suzanense inova com vendas em estilo ‘La Casa de Papel’Foto: Munique Kazihara/Divulgação
Com o objetivo de empreender e inspirar as pessoas, o suzanense Victor Marcolongo Franco da Silva, de 22 anos, vende brigadeiros na região central de Suzano caracterizado como personagem da série 'La Casa de Papel'. 
Em entrevista ao DS, Victor conta que está no projeto há um mês e pretende ampliar as vendas futuramente. 
"Tudo começou quando li um livro chamado 'Quem pensa, enriquece'. Estava com dinheiro, trabalhava registrado, mas queria mais, ter a oportunidade de investir. E agora tenho essa chance", explica.
 
Início
 
O suzanense afirma que inicialmente vendia paçocas pela cidade, mas percebeu que não estava dando certo. Sendo assim, ele pensou em inovar. 
 
"Quando vendi as paçocas não deu muito certo. Com os brigadeiros demorei três horas para vender 16. Quis inovar e queria passar algo para as pessoas, uma mensagem. Meus pais tinham a fantasia dos personagens da série, eu chamei uns amigos e minha irmã apoiou a ideia também".
 
De acordo com Victor, a caracterização com a fantasia dos personagens da série impulsionou a venda dos brigadeiros. 
 
"As pessoas estão entrando em contato comigo e postando fotos nas redes sociais. Está crescendo".
 
Ensinamentos
 
Victor fala que o principal objetivo das vendas é passar algo positivo às pessoas. 
 
"Quero passar uma mensagem para as pessoas, não apenas vender. O legal é interagir com todo mundo. É algo que está sendo incrível para mim, poder proporcionar sorrisos nas pessoas", diz Victor.
 
Críticas
 
Em relação às críticas, ele diz que antes de vender tinha medo do que as pessoas iriam pensar dele. "No começo eu tinha muito medo, mas agora não tenho mais. Eu fui vender apesar desse sentimento. Quero mostrar para as pessoas que tudo é possível", finaliza. 

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias