Envie seu vídeo(11) 97569-1373
Sintonize nossa Rádio101.5 FMClique e ouça ao vivo
Domingo 22 de Outubro de 2017

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 22/10/2017
mrv

2 em cada mil jovens da região são assassinados antes de completar 19 anos, diz Unicef

Índice de violência entre jovens aumentou 50,35% em um ano em cinco cidades do Alto Tietê

Por Gabriele Doro - Da Região12 OUT 2017 - 09h07
Suzano tem a menor taxa de homicídios entre jovens da regiãoFoto: Arquivo/DS
Dois em cada mil jovens morrem, nas cidades da região, antes de completar 19 anos. O maior índice de homicídios entre adolescentes é em Itaquaquecetuba e o menor em Suzano. Segundo estimativa feita, 41 jovens morreram na região por morte violenta. O levantamento tem como base os dados desta população e o cálculo da violência do ano de 2014. O índice de violência entre jovens aumentou 50,35% em um ano em cinco cidades do Alto Tietê.
 
O Índice de Homicídios de Adolescentes (IHA) foi divulgado ontem pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), em parceria com a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR) e o Observatório de Favelas e o Laboratório de Análise da Violência da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (LAV-Uerj).
 
Segundo o estudo, o valor do IHA representa a quantidade de jovens mortos por homicídios com idade entre 12 e 18 anos em um grupo de mil pessoas. A elaboração da considerada “tábua de mortalidade” leva em conta diversos passos, como o cálculo da taxa de morte violenta e a população dentro desta faixa etária, calculado com dados do Censo, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
 
Região
O levantamento foi realizado somente nas cidades com mais de 100 mil habitantes. Na região foram analisados os municípios de Ferraz de Vasconcelos, Itaquaquecetuba, Poá, Mogi das Cruzes e Suzano.
Quando comparado os dados divulgados no ano passado (com base em 2013), o levantamento traz uma informação preocupante. Apesar de a população jovem ter caído 0,11% (passou de 168.903 para 168.721), o índice de homicídios aumentou 50,35%. Isso porque a média do IHA da região era de 1,156 e passou para 1,738. Além disso, a estimativa de jovens que podem ser mortos aumentou 36,37%, passando de 30 homicídios para 41.
 
Itaquaquecetuba tem o maior índice da região, com IHA de 3,14. No ano anterior, o índice da cidade era de 2,39. O levantamento, deste ano, estima que 19 jovens foram assassinados. A segunda maior taxa é de Mogi das Cruzes, com IHA de 1,79. O terceiro maior índice é de Ferraz de Vasconcelos, com taxa de 1,68, com seis mortes. Poá tem o quarto maior IHA, com 1,24 e duas mortes e Suzano ficou como menor índice da região, com 0,84 e quatro mortes.
 
No País
Em nível nacional, o estudo apontou que, se o cenário não mudar, 43 mil jovens podem ser assassinados entre 2015 e 2021. Em 2014, o valor do IHA para o conjunto da população residente nos 300 municípios brasileiros com população igual ou superior a 100 mil habitantes foi de 3,65 adolescentes perdidos para cada grupo de mil adolescentes entre 12 e 18 anos. 

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias