Envie seu vídeo(11) 97569-1373
Sintonize nossa Rádio101.5 FMClique e ouça ao vivo
Domingo 22 de Outubro de 2017

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 21/10/2017
mrv
Fiscalização

38 empresas de Suzano são autuadas pela Vigilância Sanitária por irregularidades

Entre os estabelecimentos autuados estão supermercados, loja de produtos para carros, indústrias e lanchonetes

Por Pâmela Queiróz - De Suzano19 SET 2017 - 11h10
Prefeitura ivulgou lista com locais que foram autuadosFoto: Divulgação
Trinta e oito empresas de Suzano receberam auto de infração, da Vigilância Sanitária, no último mês por estar com alguma irregularidade. Os valores das multas correspondem à Unidade Fiscal do Município (UFM), com multas que podem variar entre 200 e 80 mil UFM's (o que corresponde a valores entre R$ 639,26 e R$ 255,7 mil), segundo a Lei Complementar 088/2000. Entre os estabelecimentos autuados estão supermercados, loja de produtos para carros, indústrias e lanchonetes.
 
A listagem com as autuações foi divulgada pela Prefeitura na última sexta-feira. O procedimento é considerado de praxe e é divulgado mensalmente. Os dados são referentes à agosto deste ano. 
 
De acordo com a Vigilância Sanitária, órgão da Secretaria de Saúde, os autos de infração são publicados em respeito à legislação estadual e federal. "Os autos são irregularidades encontradas em estabelecimentos comerciais, que impõe risco à saúde pública", destaca em nota. A publicação de multas são realizadas devido à gravidade da infração e também o grau de complexidade de risco à saúde e, em alguns casos, a reincidência.
 
A verificação dos estabelecimentos suzanenses também varia e abrange várias áreas, entre elas setores alimentícios, drogarias, abrigos e casas de apoio, que segundo a Vigilância são os mais frequentes, com índices maiores de desobediência sanitária. "A fiscalização pode ser aleatória, mediante denúncias ou na realização de vistorias para a concessão de licença de funcionamento", pontua. 
 
O trabalho é realizado seguindo os preceitos do Código de Vigilância Sanitária (CVS1), vigente a cada caso com a respectiva complexidade. A empresa autuada pela Vigilância Sanitária tem amplo direito a defesa e pode recorrer pelo período de 10 dias após a notificação do autuado. 

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias