sábado 02 de março de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 01/03/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Cidades

Agressões contra mulheres crescem 16,8% em fevereiro; 2022 tem 1,64 mil denúncias

Número representa a importância de as mulheres denunciarem sinais de violência provocadas pelos agressores

08 março 2023 - 05h00Por de Suzano
As denúncias de agressões contra mulheres cresceram 16,8% de janeiro para fevereiros deste ano em Suzano. O número de ocorrências passou de 125 no primeiro em janeiro para 146 em fevereiro.
 
No ano de 2022 foram 1.642 denúncias registradas. Os dados são da Delegacia da Mulher de Suzano.
 
Segundo os dados, em janeiro deste ano foram registrados 88 denúncias na Delegacia da Mulher de Suzano, 21 por meio eletrônico, 13 no DP Central e três em outros DPs.
 
Em fevereiro de 2023 foram 95 na DDM, 31 por meio eletrônico, 11 na Delegacia da Mulher e nove em outros DPs.
 
Em 2022, na Delegacia da Mulher foram registrados 1.019 ocorrências, 345 por meio eletrônico, 190 no DP central e 88 em outros, totalizando 1.642.
 
No comparativo entre os dois primeiros meses do ano passado e deste ano os números são similares. Foram 269 ocorrências em 2022 e 271 neste ano. 
 
O registro é importante na identificação dos infratores. Em Suzano, a Delegacia da Mulher dispõe de ferramentas no combate à violência doméstica. 
 
As mulheres vítimas de violência doméstica podem solicitar on-line a medida protetiva contra o parceiro. No ano passado a delegacia solicitou 655 medidas ao longo dos doze meses. Neste ano, foram 136. 
 
Substituindo temporariamente a titular da delegacia (Silmara Marcelino), a delegada da Delegacia da Mulher de Mogi, Luciana Amat, explica que os números mantém um padrão e que 2020, ano pandêmico, foi o único que registrou aumento. 
 
“Na pandemia foi atípica e houve aumento nos registros pela internet. Mas vem se mantendo números parecidos de um ano para o outro. Em primeiro lugar vem as ameaças e crime de perseguição, depois crime contra a honra e por último as agressões corporais”, disse. 
 
Quando a vítima sofre algum tipo de violência, seja física, psicológica ou moral, ela pode vir à Delegacia da Mulher e registrar um boletim de ocorrência ou solitária on-line. “As denúncias on-line terão o mesmo procedimento das freitas na DDM. Mas dessa forma a vítima consegue um acolhimento espontâneo e rapido”, conta.
 
A DDM também conta com o apoio da Patrulha Maria da Penha, que faz um acompanhamento das vítimas. Em qualquer sinal de perigo, as vítimas entram em contato com os guardas, que vão prontamente até o local. A Sala Rosa também é uma ferramenta importante no acolhimento às vítimas e fica localizada nas dependências da delegacia. No local, atendimento jurídico e psicológico é oferecido.
 
OAB Suzano 
 
A Comissão da Mulher Advogada da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) Suzano também é uma das ferramentas que podem ser encontradas pelas vítimas de agressões domésticas. Desde o início da pandemia, o órgão passou a reforçar os atendimentos psicológicos já que houve um aumento no registro de agressões durante a pandemia. Na busca por ajuda, a vítima de violência doméstica pode ser auxiliada através do telefone da Sala Rosa (11) 4747-7524, ou ir até o local, na rua Presidente Nereu Ramos, número 302.