sexta 21 de junho de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 21/06/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Cidades

Ashiuchi: ‘Candidatos foram democraticamente eleitos; decisão precisa ser respeitada’

Em relação ao governo federal, prefeito afirma que tem expectativa de manter o diálogo e cobrar o que precisa

13 novembro 2022 - 05h00Por Edgar Leite - de Suzano
O prefeito de Suzano, Rodrigo Ashiuchi (PL), fez um panorama, em entrevista ao DS, de como vai ficar a cidade com as eleições de Lula para presidente e Tarcísio de Freitas para governador. Ele aproveitou para falar sobre urnas eletrônicas e as manifestações contra a eleição do novo presidente. A entrevista foi feita antes de o PL nacional se declarar oposição ao novo governo federal. Leia a seguir. 
 
Diário de Suzano: Como fica Suzano com as eleições de Lula na Presidência e Tarcísio de Freitas no Governo do Estado?
 
Rodrigo Ashiuchi: Seguimos confiantes de que o trabalho desenvolvido até aqui deve ser continuado na cidade. Tarcísio foi meu candidato para o governo do Estado neste segundo turno, com quem já tive oportunidade de conversar sobre as demandas de Suzano. Em relação ao governo Federal, tenho a expectativa de manter o diálogo e cobrar o que precisa ser feito, conforme as competências do ente federativo. 
 
DS: O presidente do PL, Valdemar Costa Neto, já disse que Suzano é a principal cidade do PL por causa da sua votação na reeleição em 2020. Como vê essa declaração e a que se deve esse destaque?
 
Rodrigo Ashiuchi: Sem dúvidas estamos fazendo um grande trabalho em Suzano, os números mostram isso. Em 2020, fui o candidato mais votado da história da cidade, com 110.001 votos, e uma boa aprovação. O resultado não é de graça, é fruto de muito empenho e compromisso da nossa gestão. E o trabalho continua com muita dedicação ao longo do mandato. Fico honrado com a declaração do partido, é sinal de que estamos no caminho certo. 
 
DS: O sr. acredita que o PL pode apoiar o governo Lula (Na verdade, o PL fará oposição)? Seria a favor?
 
Rodrigo Ashiuchi: Sou partidarista e acredito que essa é uma decisão conjunta do Partido Liberal. 
 
DS: Suzano terá alguma dificuldade em relação aos projetos em andamento da esfera federal, mesmo com o PL tendo apoiado o presidente Jair Bolsonaro?
 
Rodrigo Ashiuchi: Acredito que não, uma vez que temos projetos bem delimitados em andamento e o partido conta com a maior bancada do Congresso, inclusive com o deputado federal Marcio Alvino, que é um grande parceiro de Suzano. 
 
DS: Quais as principais demandas de Suzano para o governo federal?
 
Rodrigo Ashiuchi: Atualmente, os principais projetos em desenvolvimento contando com a atuação federal em Suzano consistem na construção do Hospital Federal; da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e do Centro de Iniciação ao Esporte (CIE), ambos já em finalização. 
 
DS: Quais as principais demandas de Suzano para o governo do Estado, do governador eleito Tarcísio?
 
Rodrigo Ashiuchi: Com o governo do Estado pretendemos dar continuidade à pavimentação de bairros ainda não contemplados; à ampliação da rede de água e de esgoto pelo município; à construção da alça de saída do Trecho Leste do Rodoanel Mário Covas (SP-21), na avenida Major Pinheiro Fróes (SP-66); à construção de novos postos de saúde, sendo um para o distrito de Palmeiras; à construção do terminal de ônibus no distrito de Palmeiras; e muito mais. 
 
DS: O sr. pretende se reunir com o governador eleito Tarcísio?
 
Rodrigo Ashiuchi: Com certeza, assim que houver oportunidade. 
 
DS: Ocorreram muitos protestos de bolsonaristas questionando o resultado das urnas. Como o sr. vê essas manifestações?
 
Rodrigo Ashiuchi: Acredito que todos os candidatos foram democraticamente eleitos. Independentemente do posicionamento e da escolha de cada um, essa decisão precisa ser respeitada. Compreendo a frustração de muitos, mas a Democracia deve prevalecer. Neste momento reforço a importância da sabedoria e da união para a construção de uma Nação fortalecida.
 
 
Partido do prefeito será oposição a Lula
 
Na terça-feira (8), o Partido Liberal anunciou oficialmente que vai atuar como oposição ao governo do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva, que começa no próximo dia 1 de janeiro. Além disso, a sigla convidou o atual presidente Jair Bolsonaro — candidato derrotado nas eleições deste ano — para ser o presidente de honra do PL.
 
Essas decisões foram anunciadas pelo presidente do partido, Valdemar Costa Neto. Ele disse que a sigla não vai renunciar às suas bandeiras e, por isso, vai atuar em oposição ao próximo presidente da República.
 
Valdemar exaltou a atuação de Bolsonaro à frente do governo federal e anunciou o convite para que ele assuma a presidência de honra do Partido Liberal.
 
O presidente do PL ressaltou que a sigla conquistou as maiores bancadas na Câmara dos Deputados e no Senado Federal, nas eleições deste ano. 
 
Valdemar Costa Neto disse que pretende apoiar a reeleição do deputado Arthur Lira, do PP, para a presidência da Câmara — mas destacou que deseja, em troca, apoio dos Progressistas para que o Partido Liberal conquiste a presidência do Senado.