segunda 15 de abril de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 14/04/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Cidades

Rodrigo Ashiuchi vistoria reparo de obras na SP-66

27 junho 2017 - 17h58Por Marília Campos - De Suzano

O prefeito Rodrigo Ashiuchi (PR) vistoriou nesta terça-feira (27) o fechamento dos ‘buracos’ deixados pelas obras da Companhia de Saneamento Básico de São Paulo (Sabesp), paralisada há mais de um ano na Avenida Major Pinheiro Fróes (SP-66). Os reparos nos quatro poços da via se iniciaram segunda-feira (26) e a expectativa é de que os trabalhos sejam concluídos em até 80 dias.

Além de Ashiuchi, a visita ainda contou com o vice-prefeito Walmir Pinto (PDT) e do gerente de divisão da Sabesp, Zemicindo Miguel Mendes, que representou o engenheiro responsável. Há mais de um ano a implantação das tubulações foi paralisada por conta do processo de rescisão judicial do contrato firmado com a empresa que executava os serviços. As obras dos quatro poços foram interrompidas, e vem causando, desde então, trânsito intenso nos trechos da SP-66.

Na reunião, Mendes explicou que a Companhia tem o prazo oficial de 80 dias para realizar o fechamento dos ‘buracos’, a fim de liberar toda a pista. “Atendendo às solicitações do município, vamos drenar toda a rede que está em obras. Depois, os poços serão enterrados com areia e o asfalto refeito. Temos o prazo oficial de 80 dias para concluir os serviços, a depender das condições climáticas”.   

Ashiuchi ressaltou que as perfurações serão fechadas momentaneamente, enquanto os tramites de nova solicitação não se concretizem. “Era uma situação jurídica entre a empresa e a Sabesp. A Sabesp entendeu que o município não pode mais ser penalizada por isso”, disse. “Assim que retornar o edital, a obra vai ser retomada. Não pode mais prejudicar o trânsito, vai melhorar o acesso, fechando momentaneamente com qualidade e segurança”.

O vice-prefeito também destacou o bom relacionamento com a Sabesp. “Era uma demanda não só dos motoristas que passam pela rodovia, mas de toda a população local que também nos cobra. Muitos atribuem os buracos da obra à prefeitura. O bom diálogo com a Companhia rende parceria para resolver a situação”.