quarta 21 de fevereiro de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 21/02/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Suzano

Associação prevê crescimento de 15% nas vendas de final do ano

Com o pagamento da segunda parcela do 13°, a expectativa é de movimento nas compras

21 dezembro 2022 - 15h00Por de Suzano

A Associação Comercial e Empresarial de Suzano (ACE) prevê crescimento de até 15% nas vendas de final de ano. Com o pagamento da segunda parcela do 13° na semana do Natal a expectativa é que haja um maior movimento para as compras de final de ano.

Segundo o gerente comercial da ACE, Rodrigo Guarizo, a expectativa é que o desempenho seja 15% maior do que foi em 2021. No mês de dezembro, com a eliminação da Seleção Brasileira, para a Seleção da Croácia, na Copa do Mundo de 2022, a expectativa do presidente é que as vendas cresçam ainda mais, já que agora o foco são as festas de final de ano

O número será maior se comparar ao mesmo período do ano passado, e está ligado ao fim da pandemia e à estagnação das vendas on-line. Este ano, foi detectado o fim da pandemia, com isso as lojas conseguiram voltar ao funcionamento com as portas abertas.

“As vendas on-line estagnaram neste ano. Chegando ao final do ano, a troca de presentes entre amigos e familiares deve movimentar as vendas presenciais nos comércios locais. A segunda parcela do 13° caindo na semana do Natal também vai ajudar as vendas alavancarem. O brasileiro deixa tudo para a última hora”, comenta.

Na semana do Natal o movimento no comércio é maior. Com isso, muitas lojas pedem para os funcionários dobrar o plantão devido ao déficit nas vagas temporárias. Somente em Suzano foram abertas 900 vagas temporárias para ajudar a suprir a demanda da temporada de final do ano.

O presidente completou que registraram um aumento na contratação temporária, mas não houve preenchimento total das vagas. Ele destaca que o déficit das vagas não irá influenciar nas vendas.

“O cliente já vai na loja sabendo o que precisa comprar. Então, por mais que haja defasagem no preenchimento das vagas temporárias não influencia na redução das compras. A associação apenas deseja fomentar a economia para os comércios locais”, explica.