Envie seu vídeo(11) 97569-1373
quinta 21 de março de 2019

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 20/03/2019
CENTERPLEX SUZANO
Raul Brasil

Ataque deixa marcas profundas

Entenda o caso do atentado que resultou na morte de 10 pessoas na Escola Raul Brasil, em Suzano

Por Dennis Maciel - Suzano16 MAR 2019 - 23h56
Ataque resultou na morte de 10 pessoas e 11 feridos. O crime aconteceu por volta das 9h10. Dois ex-alunos invadiram a escola e atiraram contra as vítimasFoto: Sabrina Silva/DS
Nessa semana o município de Suzano passou por um dos capítulos mais trágicos de sua história. Na última quarta-feira (13), dois jovens invadiram a Escola Raul Brasil e abriram fogo contra alunos e funcionários. O ataque classificado como resultou na morte de 10 pessoas e 11 feridos.
 
O crime aconteceu por volta das 9h10. De acordo com imagens de câmeras de segurança, dois ex-alunos invadiram a escola e atirar contra os estudantes e professores. Antes de chegar à escola, um dos atiradores assassinou o próprio tio, que havia descoberto o crime.
 
Os atiradores, que cometeram atentado na Escola Raul Brasil, em Suzano, utilizaram uma arma de calibre 38, uma besta (arma que dispara flechas) e uma machado. Eles mataram dez pessoas e se suicidaram.
 
O atentado causou caos e pânico entre os estudantes, que saíram correndo e se abrigaram em lojas próximas. Os dois atiradores cometeram suicídio. Após o atentando os sobreviventes feridos foram encaminhados para os hospitais da região.
 
Vítimas
 
As vítimas fatais foram Marilena Ferreira Vieiras Umezo (funcionária), Eliane Regina Oliveira Xavier (funcionária), Jorge Antônio Morais (proprietário da agência de veículos), Kaio Lucas da Costa Limeira (estudante), Claiton Antonio Ribeiro (estudante), Samuel Melquiades Silva de Oliveira (estudante), Douglas Celestino (estudante) e Caio Oliveira (estudante).
 
Os dois atirados são Guilherme Tancci Monteiro e Luiz Henrique de Castro. Os dois cometeram suicídio.
 
Velório
 
O velório de seis, das oito vítimas do massacre na Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano, foi realizado na quinta-feira (14), na Arena Suzano, no Parque Municipal Max Feffer. Milhares de pessoas acompanharam o velório.
 
O corpo do aluno Douglas Celestino foi velado em uma igreja evangélica no Parque Maria Helena por escolha da família.
 
Indenização
 
O governador do estado, João Doria (PSDB), afirmou que o valor da indenização deve ser de aproximadamente R$ 100 mil para cada família. Segundo o governador, a indenização deve ser paga em até 30 dias.
 
Reforço na segurança
 
A Prefeitura de Suzano, anunciou a criação de um pacote de ações de segurança em negociação com os governos estaduais e federais, para aumentar a segurança nas escolas da cidade. O projeto prevê a atuação de policiais militares da reserva nos setores administrativos das escolas estaduais, com início na escola Raul Brasil.
 
Homenagens
 
Alunos e familiares criaram um mural no entorno dos muros da Escola Raul Brasil. O local possui cartazes com os nomes dos alunos mortos e flores foram espalhadas pela calçada.
 

Investigação aponta ‘Terrorismo Doméstico’

O Ministério Público de São Paulo investiga o massacre na Escola Raul Brasil, e acredita na possibilidade de 'Terrorismo Doméstico'. O investigado a cargo do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco).

"A linha central do Gaeco apura a possível existência de organização criminosa que tenha colaborado para eventual cometimento de crimes relacionados a terrorismo doméstico, como apontam os primeiros indícios", afirmou o Ministério público.
 
O termo 'terrorismo doméstico' é relacionado a atentados terroristas feitos por indivíduos contra o seu próprio povo ou estado. 
 
O objetivo destes atos é causar medo na população e confrontar autoridades políticas e religiosas.
 
3º Suspeito
 
A polícia também identificou um terceiro suspeito de ter colaborado com o crime. A polícia chegou até este terceiro jovem, depois que o dono de um estacionamento o reconheceu, por meio de fotografias, na companhia dos dois atiradores suicidas. 
 
Após duas horas dando explicações ao Ministério Público (MP), o adolescente suspeito de colaborar com o crime, foi liberado.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias