Envie seu vídeo(11) 97569-1373
sexta 06 de dezembro de 2019

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 05/12/2019
SOLIDARIO2019
COLÉGIO PLENITUDE
Evatânia Psicopedagoga
Suzano

Autoescolas reprovam aumento no número de pontos na carteira

Projeto de lei foi entregue ao Congresso Nacional, pelo presidente Jair Bolsonaro

Por Fernando Barreto - de Suzano09 JUN 2019 - 14h14
Autoescolas reprovam aumento no número de pontos na carteiraFoto: Sabrina Silva/DS
As autoescolas de Suzano se mostraram contra o projeto de lei (PL) que aumenta o número máximo de pontos que um condutor pode levar na carteira de habilitação. Atualmente o número é de 20 pontos, mas caso o projeto seja aprovado, passará a para 40 pontos. O PL foi entregue ao Congresso Nacional, pelo presidente Jair Bolsonaro.
 
Ítalo Camarotto Saíd Filho, dono da autoescola Técnica, disse ser contra o projeto. Ele afirma que muito já acontece apenas com 20 pontos, e caso suba esse número, os índices também serão elevados. "Olha, eu sou contra, por que hoje já vemos muitos casos de acidentes, e o número máximo é de 20 pontos. Imagina se subir para 40?!".
 
Instrutor há 19 anos, Rodrigo dos Santos, que hoje da aula na autoescola Glicério, também demonstrou ser contra o aumento, pois o que ajudará na prevenção de acidentes são leis que punam os infratores. "O aumento é bom para quem utiliza para trabalhar. Agora, para os civis, não será bom. Acredito que o número de infrações aumentará, porque o limite que pode infringir a lei será maior".
 
Para o consultor em mobilidade urbana e ex-secretário de segurança pública de Poá, Nabuo Aoki Xiol, a tendência de quando suaviza as leis é um aumento nos números de casos. Visto os últimos resultados sobre mudanças na legislação de trânsito, ele espera que os acidentes não aumentem. 
 
"Quando leis são suavizadas, a tendência é que os números aumentem. Eu espero que não aumente. Hoje no Brasil, cerca de 45 mil pessoas morrem no trânsito por ano".
 
A solução apresentada pelo Xiol é, em princípio, educar as crianças sobre o que é um trânsito seguro. "Como forma de prevenção de acidentes, devemos educar as crianças. Devemos ensiná-las sobre o porquê de não correr, de respeitar as sinalizações. Devemos apresentar os motivos e explicar as conseqüências de não seguir. 
 
"E claro, precisamos de uma boa legislação, se o intuito é evitar mortes. Todos nós corremos risco", reitera o especialista e ex-secretário.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias