segunda 24 de junho de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 23/06/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Cidades

Barracas e carrinhos de lanches são atrações em Suzano

Briga pelos maiores lucros leva os comerciantes a ter que usar a criatividade nas vendas

28 abril 2019 - 12h12Por Daniel Marques - de Suzano
O grande fluxo de moradores e visitantes no centro de Suzano é a aposta dos donos de carrinhos e barracas para superar a crise. 
 
A quantidade deles no centro é impressionante, com uma variedade incrível: Cachorro quente, tapioca, churros e sorvetes são alguns dos produtos mais encontrados nas ruas para consumo.
 
A briga pelos maiores lucros leva os comerciantes a ter que usar a criatividade nas vendas. Elaborar promoções, colocar novos sabores e receber bem os clientes são as alternativas para atrair pessoas e obter mais saída dos produtos.
 
É o caso de Josué Barbosa, 71, que tem uma barraquinha de cachorro quente na Rua Monsenhor Nuno. Desde 83, ele chega pela manhã, monta a barraca e fica até o final da tarde. Ele conta que, apesar do lucro apenas razoável, continua caprichando no lanche. "Uso um preço condizente com o produto. Lanche completo, não é exagerado. Costumo dizer que não é o maior, mas o melhor", disse.
 
João Antônio da Silva, 80, trabalha na Praça João Pessoa e há 1 ano, vende açaí, cupuaçu, e sorvete de copo no local. Mesmo sendo relativamente "novo" com vendas na praça, ele já quer aumentar o negócio. "Moro desde 64 em Suzano, porém vendo sorvete há pouco tempo. Quero colocar um carrinho de churrasco junto com o sorvete", contou.
 
Segundo os vendedores, a maior dificuldade em aumentar os negócios é com relação aos valores dos impostos para quem vende nas ruas. A saída então trazer algo novo para os clientes. 
 
José Mário, 37, vende pipoca doce, salgada e batata. Ele conta que "o carrinho é tradicional na cidade", pois "são mais de 60 anos vendendo pipoca". Segundo ele, vai trazer produto novo para o carrinho em breve. "A gente busca manter os valores padrão com os outros pipoqueiros, para evitar atrito. São várias barracas aqui na praça. A alternativa é trazer algo diferente, então colocaremos pipoca com leite ninho para diferenciar dos outros. Vamos tentar manter a paz entre todos os vendedores", conta.
 
Estefânia Faria, 55, tem um carrinho de churros. Os recheios variados são a aposta da vendedora para atrair mais clientes. "Tem de leite ninho, goiabada, beijinho e Nutella, além dos tradicionais. Penso em colocar mais coisas, mas tem que negociar, porque não tem energia e o espaço é curto", disse.

Deixe seu Comentário

Leia Também