Envie seu vídeo(11) 97569-1373
quinta 22 de agosto de 2019

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 21/08/2019
PMMC - TRATA BRASIL

Campanha Acolha a Vida é lançada pelo governo federal em Suzano

Município é o primeiro do País a receber ação de prevenção ao suicídio e à automutilação idealizada pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos

Por de Suzano23 JUL 2019 - 17h07
Data de lançamento oficial da campanha ainda foi marcada por palestras simultâneas na cidadeFoto: Wanderley Costa/Secop Suzano

Suzano recebeu na manhã desta terça-feira (23) o lançamento da campanha nacional Acolha a Vida, voltada à prevenção ao suicídio e à automutilação, promovida pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, em parceria com a administração municipal. O evento, sediado no Cineteatro Wilma Bentivegna, contou com a participação de integrantes da Diretoria de Desafios Sociais no Âmbito Familiar e de palestrantes responsáveis pelas oficinas de capacitação oferecidas. A ação é resultado da vinda da ministra Damares Alves ao município em 13 de maio, articulada pelo deputado federal Marco Bertaiolli.

Na oportunidade, o representante da pasta federal Marcelo Couto Dias destacou que a campanha faz parte de uma das primeiras iniciativas do ministério voltadas à prevenção ao suicídio e à automutilação, sendo que o foco, neste momento, será a capacitação de profissionais da Educação, da Saúde e da Imprensa sobre a temática. “Entendemos que é um assunto de Saúde que também deve ser tratado na perspectiva familiar e dos direitos humanos. Temos trabalhado com análises, por meio do Observatório Nacional da Família, e com a Política Nacional de Prevenção da Automutilação e do Suicídio (lei federal nº 13.819/2019), em fase de regulamentação, a fim de consolidar dados e orientar a adequada intervenção dessas ocorrências”, disse.     

A data de lançamento oficial da campanha ainda foi marcada por palestras simultâneas em Suzano. A capacitação “A Imprensa como fator de proteção ao suicídio” foi apresentada pelo especialista em prevenção ao suicídio Carlos Aragão aos profissionais de Comunicação. “O ocorrido em Suzano confere uma repercussão de médio a longo prazo e nos alerta para que a situação não seja esquecida, nem negligenciada”, disse ele, ao relembrar o episódio do ataque a tiros promovido por dois ex-alunos na Escola Estadual Professor Raul Brasil, em 13 de março deste ano, que terminou na morte de dez pessoas.

A palestra “Identificando fatores de risco para suicídio e estratégias de prevenção”, voltada principalmente aos profissionais da Saúde, foi apresentada pelo psiquiatra e presidente da Associação Brasileira de Estudos e Prevenção do Suicídio, Humberto Correa. “Pela primeira vez, temos ações efetivadas pelo Poder Público sobre o tema, que sempre foi tratado por ONGs ou associações. Ainda temos o desafio da subnotificação dos casos no Brasil e isso mostra o tabu histórico a que o suicídio está sujeitado”. Já o painel “Alegria de viver e coragem de sofrer: sentido da vida na prevenção do comportamento autodestrutivo” foi abordado junto a profissionais da Educação pela professora Marina Lemos. “Precisamos entender a dimensão do sentido da vida para manejar a prevenção ao suicídio”, comentou.

Para o prefeito Rodrigo Ashiuchi, o Brasil vive uma situação alarmante acerca do suicídio e da automutilação. “Precisamos fortalecer a campanha e prezar pela vida da população, sobretudo nos empenhando em criar mais oportunidades em esporte, lazer, espaços de convivência e geração de emprego, entre outras ações que impactam diretamente nos fatores de risco que influenciam a problemática”, afirmou.

A primeira-dama e presidente do Fundo Social de Solidariedade, Larissa Ashiuchi, concluiu agradecendo a presença do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. “A iniciativa lançada em Suzano tende a lançar luz ao tema e ajudar milhares de pessoas Brasil afora. Ficamos felizes em ser a primeira cidade a receber este importante projeto”, disse.

Também estiveram presentes no lançamento os secretários municipais Luis Claudio Guillaumon (Saúde), Leandro Bassini (Educação), Cintia Renata Lira (Administração), Said Raful Neto (Governo) e Arnaldo Marin Junior (Esportes e Lazer); o chefe de Gabinete, Afrânio Evaristo da Silva; o controlador geral do Município, Fátimo Aparecido dos Santos; e os vereadores Joaquim Antônio da Rosa Neto, Edirlei Junio Reis e Marcos Antônio dos Santos.

Encontros capacitam 450 pessoas a lidarem com temática 

As oficinas ofertadas pela campanha nacional Acolha a Vida capacitou pelo menos 450 pessoas em Suzano durante a tarde desta terça-feira (23/07). A cidade recebeu três paineis voltados à prevenção ao suicídio e à automutilação direcionados a profissionais da Comunicação, Saúde e Educação. Os encontros foram promovidos pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, em parceria com a administração municipal. 

As palestras simultâneas tiveram início às 13h30 e se estenderam até o fim da tarde. O auditório do Saspe recebeu cerca de 30 pessoas no encontro “A Imprensa como fator de proteção ao suicídio”, apresentado pelo especialista em prevenção ao suicídio, Carlos Aragão. Para a jornalista Mara Flores, que esteve presente no evento, a divulgação de casos de suicídio nos veículos de comunicação, por vezes, coloca os profissionais em conflito. “É importante refletirmos sobre o impacto da informação e como isso pode ajudar uma pessoa ou piorar uma situação, principalmente perante à influência e repercussão latente nas redes sociais”, comentou.

O painel “Identificando fatores de risco para suicídio e estratégias de prevenção”, apresentado pelo psiquiatra Humberto Correa foi voltado aos profissionais da Saúde e recebeu mais de cem pessoas no Cineteatro Wilma Bentivegna. A agente comunitária Jéssica Gonçalves pontuou o caráter educativo e multiplicador do conhecimento adquirido na oportunidade. “Como agentes comunitários precisamos estar atentos, justamente porque somos os primeiros a ter contato com a população e ter alguma percepção dos fatores de risco durante as visitas residenciais”, explicou.  

No Teatro Municipal Dr. Armando de Ré, o tema foi “Alegria de viver e coragem de sofrer: sentido da vida na prevenção do comportamento autodestrutivo”, levado a cerca de 300 profissionais da Educação pela professora doutora Marina Lemos. A professora Nely Moraes participou do encontro e aprovou a iniciativa: “Tivemos embasamento para entender e abordar motivação de vida com os jovens, para que eles estabeleçam metas e sigam em busca de seus objetivos”.

 

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias