sábado 22 de junho de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 22/06/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Cidades

Chuvas prejudicam a produção de hortaliças; preços podem aumentar

Temporais que atingem a cidade desde janeiro estão afetando o setor agrícola

07 março 2019 - 00h04Por Dennis Maciel - Suzano
As fortes chuvas que atingiram Suzano nas últimas semanas estão prejudicando a produção de hortaliças. O grande volume de água prejudicou o solo de plantações, causou alagamentos e danificou a estrutura de estufas e galpões. Os agricultores afirmam que os prejuízos serão refletidos nos preços e na qualidade dos produtos.
 
A grande quantidade de água tem causando problemas, principalmente, em plantações de alface, couve repolho. A água em excesso não permite a adubação correta do solo e impede a ação dos inseticidas. Muitas mudas já formadas acabaram sendo arrancadas do solo por conta da força d'água. Alguns agricultores registraram perca de mais de 80% das hortaliças.
 
Outro problema está relacionado com a parte de distribuição dos alimentos. Por conta dos alagamentos e quedas de árvores os caminhões que transportam os produtos não conseguem chegar ao destino de entrega, acarretando mais perdas. Nos últimos dias, a falta de energia provocada pela queda de árvores também prejudicou o setor.
 
A queda na produção e na qualidade dos alimentos afetará os consumidores, segundo a agricultora Caroline Ribeiro, os preços dos produtos na região poderão ser elevados. "Fevereiro e março costuma ser complicado, mas as chuvas deste ano estão mais fortes do que previmos. Nesta situação todos saem prejudicados com a perda de qualidade e aumento de preços", conta.
 
Caroline Ribeiro também destacou os problemas externos às lavouras que afetam nos produtos. "Com a queda de árvores ficamos mais de dois dias sem energia. Além disso, as estradas ficaram alagadas e cheias de buracos por conta das chuvas, dificultando o transporte dos alimentos. Esta situação começou em dezembro e se intensificou nos últimos meses", afirma.
 
O agricultor Natalino Kazuo, de 52 anos, afirma que esta foi a pior temporada dos últimos anos. "As chuvas danificaram as telas das estufas, os telhados dos galpões, além de prejudicar as plantações afetando os defensores e o adubo. Perdi cerca de 80% da minha produção e já estou há um mês sem fazer a colheita", conta o agricultor.
 
O agricultor afirma que está tomando previdências para diminuir os problemas. "Nós estamos instalando telas para conter o impacto da chuva. Para evitar grandes prejuízos preferimos diminuir a produção. Um dos maiores problemas é que a umidade em excesso prejudica as raízes e não temos como controlar isso. A expectativa é que as chuvas diminuam nos próximos meses", finaliza.

Deixe seu Comentário

Leia Também