Envie seu vídeo(11) 97569-1373
domingo 09 de agosto de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 08/08/2020
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
PMMC  VACINAÇÃO - SARAMPO
Pmmc Mutirão da Catarata
PMMC ECOTIETÊ

Comércio apresenta melhora com crescimento nas vendas desde a reabertura, aponta sindicato

Por Daniel Marques - da Região24 JUL 2020 - 12h23
Comércio de rua do Alto Tietê teve aumento de 10% a 12% desde a reabertura, ocorrida em 12 de junhoFoto: Regiane Bento/Divulgação
O comércio de rua do Alto Tietê teve aumento de 10% a 12% desde a reabertura, ocorrida em 12 de junho. O faturamento gira em torno de 40%, se comparado com o mesmo período do ano passado. Houve, ainda, uma melhora de 4% a 5% desde que a região passou para a fase amarela do Plano São Paulo de flexibilização. Os dados foram passados pelo Sindicato do Comércio Varejista de Mogi das Cruzes e Região (Sincomércio).
 
Na primeira semana de reabertura do comércio, houve queda entre 50% e 60%, no comparativo com o mesmo período do ano passado. O prejuízo só não foi maior porque a retomada ocorreu no Dia dos Namorados, quando normalmente o movimento de clientes é bom. Já na semana seguinte, a redução foi de 5% a 6%.
 
No entanto, na passagem de junho para julho, houve o primeiro crescimento do comércio pós-reabertura. O percentual foi de 5% a 10% na maior parte das lojas. O número é considerado como uma “recuperação” do que foi perdido na segunda semana. 
 
Ao passar para a fase amarela, foi registrada outra melhora no comércio da região: de 4% a 5% nas vendas.
Os setores mais afetados com a pandemia do novo coronavírus (Covid-19) foram os de serviços, vestuários e calçados, que chegaram a apresentar uma redução beirando 80% a 90%. 
 
Desde a retomada, o de serviços é o que vem se recuperando mais rápido, segundo o Sincomércio. O crescimento foi de mais de 20% após 12 de junho.
 
“O crescimento no setor de serviços ocorre, principalmente, por causa de escolas e cursos profissionalizantes, que provocaram uma queda acentuada. Este aumento se dá pela retomada de escolas profissionalizantes presenciais, sempre respeitando o protocolo”, justificou Valterli Martinez, presidente do Sincomércio.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias