terça 23 de abril de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 21/04/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Cidades

Condemat vai debater falta de recursos para serviço de hemodiálise

Principal preocupação é a falta de repasses do governo federal para os Institutos de Nefrologia de Suzano e Mogi

22 julho 2017 - 10h10Por Marília Campos - De Suzano
O Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat) buscará uma agenda para receber representantes da Associação de Renais Crônicos do Alto Tietê (Arcat). O grupo realiza um abaixo-assinado em prol aos Institutos de Nefrologia de Mogi das Cruzes e Suzano e procura o Condemat para que o documento alcance novos patamares. A principal preocupação é a falta de repasses do governo federal para o serviço de hemodiálise. Se o cenário não melhorar as unidades podem fechar as portas.
 
De acordo com o Condemat, a Câmara Técnica de Saúde do consórcio tem acompanhado a problemática que envolve o serviço na região e discutido soluções para minimizar os problemas e melhorar o atendimento aos pacientes. "O consórcio recebeu o ofício da Arcat, é sensível a causa e buscará uma agenda com os representantes da associação e dos serviços de nefrologia", destacou a nota.
 
Conforme publicado pelo DS, o Condemat debate outros mecanismos que possam contribuir com a manutenção das unidades de nefrologia. A possibilidade de isenção da tarifa de água para os institutos é uma das alternativas em estudo, visto que este insumo representa um custo significativo para os serviços e seria uma forma de ajudar na continuidade aos atendimentos. Os recursos principais para a nefrologia são de responsabilidade das esferas estadual e federal.
 
Abaixo-assinado
A Arcat busca uma participação no Condemat a fim de que o abaixo-assinado, elaborado em junho, alcance novos patamares. A expectativa é de que o documento chegue ao Ministério da Saúde, uma vez que as unidades de hemodiálise da região podem deixar de atender pacientes por conta da falta de correções nos repasses de verbas. Os gastos para manter a qualidade do serviço não acompanham o montante enviado pelo governo.
 
De acordo com o presidente da Arcat, Henrique Jesuíno de Souza, a verba repassada às clínicas para atendimento do Sistema Único de Saúde (SUS) é de R$ 194 por paciente. Porém, a despesa é maior. "O custo é muito maior que isso, pode chegar até R$ 300 por pessoa", diz. O abaixo-assinado conta com 10 mil assinaturas. A lista está disponível nas próprias unidades bem como em circulação com pessoas responsáveis, além da versão online. 

Deixe seu Comentário

Leia Também