domingo 14 de abril de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 14/04/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Cidades

Greve para trens, reduz circulação de ônibus, atendimento de UBS e escolas

29 abril 2017 - 08h01

A greve geral, contra as reformas trabalhista e Previdenciária, atingiu ontem diversos setores de Suzano e região. As linhas 11-Coral e 12-Safira, da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), ficaram paralisadas . Os ônibus municipais e intermunicipais de Suzano circularam com itinerário semelhante ao do final de semana, ou seja, com maior intervalo. Já as escolas e as Unidades Básicas de Saúde (UBS) trabalharam parcialmente e com número de funcionários reduzidos. De manhã, por volta das 8h30, muitas pessoas aguardavam nos pontos de ônibus para chegar ao trabalho, consultas, entre outros. Os passageiros, que esperavam em média 30 minutos, estavam preparados para greve dos trabalhadores. A professora Sandra Regina de Andrade conta que saiu de casa atrasada e por isso perdeu o ônibus. Ela frisa ainda que já sabia do funcionamento reduzido dos ônibus, uma vez que colocaram informes nos coletivos. "Como hoje tem a greve vou esperar mais pelo ônibus. O horário está igual ao do final de semana", completa. A cozinheira Maria de Lourdes Rodrigues, que trabalha em uma escola, em Jabaquara, adianta que a unidade não teve aula. "Hoje não consegui chegar ao trabalho. Vou de trem, mas meu patrão já sabia que seria assim, agora vou pegar um ônibus para acompanhar meu marido", explica. O corretor de imóveis Oswaldo Silvestre, trabalha em Suzano, mas mora na Penha, precisou desembolsar R$ 70 para chegar até a cidade. "Ainda aguardo carona para chegar ao meu destino final. Normalmente eu gasto R$ 9 com o ônibus", detalha. O meio oficial de encanador industrial Marcos Araujo adianta que perdeu um compromisso em Mogi das Cruzes, pois não sabia que o transporte ia ficar paralisado. "Agora tentarei outro dia". O transporte complementar circulou sem alterações. Já os trens ficaram paralisados no Alto Tietê até à tarde. Depois circularam parcialmente. De acordo com a Prefeitura suzanense, em virtude das dificuldades logísticas de transporte público na região, alguns funcionários públicos não puderam cumprir o expediente ontem. A Secretaria de Saúde afirma que os serviços nas UBSs encontram-se com redução nos quadros - a única unidade que foi fechada foi a UBS Badra Alto, onde os moradores foram orientados a procurar atendimento médico em outros postos da região. Já no Pronto-Socorro (PS) Adulto e Infantil, o trabalho ocorreu sem impedimentos. A atuação do serviço de coleta de lixo no município também seguiu sem paralisação, segundo a Secretaria de Manutenção e Serviços Urbanos. Segundo a administração, o transporte público municipal atuou com frota reduzida, conforme declaração da Secretaria de Transporte e Mobilidade Urbana. Já a rede municipal de ensino apresentou uma média de paralisação de aproximadamente 88%, segundo levantamento inicial da Secretaria de Educação. A pasta esclarece ainda que não haverá prejuízo pedagógico aos estudantes, o conteúdo que não foi dado ontem será reposto. De acordo com a Radial Transporte, os ônibus municipais de Ferraz de Vasconcelos e Poá voltaram a operar com 100% da frota no começo da tarde. Em Mogi e Suzano, a empresa diz que os ônibus começaram a operar parcialmente ainda de madrugada. Sendo que em Suzano, um ônibus foi apedrejado e três sofreram vandalismo em Mogi. Em ambas as cidades, no período da tarde a circulação começou a se normalizar. A Secretaria do Estado da Educação disse, em nota, que durante a manhã todas as escolas estaduais atenderam os alunos. "O levantamento parcial da manhã aponta que 99% das unidades seguem em funcionamento - das mais de 5 mil escolas, 49 tiveram atividades paralisadas hoje. A pasta acredita no compromisso dos professores com os alunos", diz a nota.