Envie seu vídeo(11) 4745-6900
sábado 04 de dezembro de 2021

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 03/12/2021
SECOM CORUJÃO DA SAÚDE
SOUSA ARAUJO - SIENA
CIA SUZANO
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
CREA- SP TRANSFORMAÇÃO DEZEMBRO 2021
Balanço

IBGE de Suzano vai produzir dados de violência até o fim do ano

Informações de turismo também serão colhidas. Unidade abrange, além de Suzano, cidades de Poá e Ferraz

Por Daniel Marques - de Suzano07 JUN 2019 - 23h58
Alunos da Escola Estadual Professora Luiza Hidaka visitaram as dependências do IBGE Suzano nesta sexta-feira (7)Foto: Sabrina Silva/DS
O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de Suzano passará a levantar dados de violência e turismo em cidades do Alto Tietê até o final de 2019.
 
A unidade reúne dados por meio de entrevistas presenciais. Além de atender Suzano, a unidade entrevista moradores de Poá e Ferraz de Vasconcelos.
 
Esses dados elucidarão melhor as taxas de violência, uma das pautas principais da administração suzanense, além de precisar o número de turistas que visitam a cidade.
 
Visita
 
Alunos da Escola Estadual Professora Luiza Hidaka visitaram as dependências do IBGE Suzano nesta sexta-feira (7). Os jovens puderam acompanhar como são feitas as pesquisas e levantamentos e conheceram de perto aplicativos utilizados para realizar as pesquisas.
 
Área de abrangência
 
O IBGE Suzano subdivide o mapa das cidades em setores com, mais o menos, o mesmo número de domicílios em cada setor. 
 
Cerca de 400 setores são consultados pelo instituto, sendo que cada um deles contém entre 150 e 400 domicílios.
 
Entenda o IBGE
 
Atualmente, a unidade fornece os dados colhidos em entrevistas domiciliares e os envia ao instituto central, que faz análises desses dados e consegue concluir informações. 
 
“Com os dados das pesquisas domiciliares, é possível entender taxas de desemprego, números populacionais, saber quem tem acesso aos aplicativos de internet e celular, além de auxiliar em outros levantamentos, como prever perspectivas de crescimento e ajudar administrações municipais, para saber o que precisa ser feito em determinado lugar de uma cidade”, afirma Rafael Furlan, técnico de informações geográficas e estatísticas do IBGE de Suzano.
 
É possível também usar dados de empresas, com o intuito de compreender se o país está exportando ou importando, vendendo produtos e quanto está vendendo, se uma indústria cresce ou se acontece um fenômeno positivo ou negativo em algum local. Se torna possível saber até mesmo o número de divórcios que uma cidade teve.
 
“Algumas pessoas ficam constrangidas em responder questões salariais, por exemplo. Quanto maior a precisão da informação, melhor”, conta Furlan.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias