domingo 26 de maio de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 26/05/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Cidades

Indústria da região aguarda estudos sobre impactos do horário de verão

Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) informou que prós e contras devem ser levantados

20 novembro 2022 - 13h00Por Ingrid Leone - da Região

Antes da discussão oficial sobre o retorno do horário de verão, no início de 2023, o Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) Alto Tietê espera que todos os prós e contras do horário de verão sejam estudados e discutidos com os setores produtivos antes de qualquer decisão do Governo Federal.

A discussão estava pausada desde 2019, ano em que o atual presidente Jair Bolsonaro (PL) revogou o adiantamento. 

O horário de verão tinha como principal objetivo a redução do consumo de energia elétrica e o aproveitamento da luz natural com o adiantamento dos relógios em uma hora, reduzindo a concentração de consumo. 

Na época, segundo o Ministério de Minas e Energia, análises apontavam mudanças no hábito de consumo de energia da população, e assim, confirmaram que a alteração no horário não produzia mais os resultados esperados. Desde então, a iniciativa está suspensa. 

O assunto retornou depois de reivindicações dos eleitores do novo governo eleito para Presidência da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), nas redes sociais. Os usuários solicitaram a volta do horário. 

Em nota, o Ciesp informou que “a entidade ressalta que há assuntos prioritários que o novo Governo precisa tratar, como a Reforma Tributária e a redução de gastos. Mas pondera que eficiência energética, e a consequente diminuição de custos com energia, deve sempre ser buscada”.

CIESP

O Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) é uma entidade civil sem fins lucrativos com empresas industriais e suas controladoras, e associações ligadas ao setor produtivo. As ações são para preservar os interesses da categoria e dos associados. O centro estuda, debate e funciona como uma ponte para levar esses assuntos às autoridades federais, estaduais e municipais. 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também