sexta 21 de junho de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 21/06/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Covid-19

Itaquá volta a tornar obrigatório o uso de máscara no transporte público

Medida começou a valer neste sábado (26)

28 novembro 2022 - 13h00Por de Itaquá
A Prefeitura de Itaquaquecetuba decretou o retorno da obrigatoriedade do uso de máscaras no transporte público. A medida começou a valer neste sábado (26) e ocorre em razão do recente aumento de casos e internações por Covid-19.
 
A obrigatoriedade vale tanto para acessar as três estações da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) no município (Aracaré, Manoel Feio e Itaquaquecetuba), levando em conta que também há um decreto estadual no mesmo sentido, como para embarcar nos ônibus municipais e intermunicipais.
 
"Nosso maior objetivo é seguir zelando pela saúde e pela vida. Considerando o aumento de casos com necessidade de hospitalização, essa é a melhor decisão a ser tomada para frearmos o avanço e, consequentemente, a superlotação das unidades de urgência e emergência", explicou a secretária de Saúde, Ariana Julião.
 
O prefeito Eduardo Boigues destacou que a medida precisa ser seguida não apenas por ser obrigatória como também pela consciência que o momento exige. "Nunca baixamos a guarda no que diz respeito à pandemia e agora não seria diferente. Seguiremos com os pontos de vacinação até quando for necessário. A vacina e o uso de máscara salvam vidas."
 
A vacinação contra Covid-19 ocorre nas unidades básicas de saúde do município de segunda a sexta, das 8h às 16h. Lembrando que 25 mil pessoas não voltaram para tomar a segunda dose em Itaquaquecetuba. Faltosos da terceira dose já somam 86 mil pessoas, da quarta são 40 mil e, da quinta, mil pessoas.
 
A primeira dose está liberada para bebês de 6 meses a 2 anos com comorbidades, a segunda para crianças de 3 e 4 anos que completaram 28 dias de intervalo da Coronavac e para os pequenos de 5 anos que tomaram Pfizer, o intervalo é de oito semanas.
 
De 6 a 11 anos, o intervalo com Coronavac é de 28 dias e com Pfizer é de oito semanas. No caso de quem tem acima de 12 anos, o reforço da terceira em diante está liberado para quem tomou a dose anterior há pelo menos quatro meses.