Envie seu vídeo(11) 97569-1373
Sintonize nossa Rádio101.5 FMClique e ouça ao vivo
Segunda 23 de Outubro de 2017

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 22/10/2017
mrv

Ministério do Trabalho de Suzano lota após ‘fechar’ unidade de Mogi

Unidade mogiana foi fechada temporariamente após os computadores e impressoras terem sido furtados

Por Marília Campos - De Suzano12 OUT 2017 - 14h40
Posto suzanense tem atendido demanda de MogiFoto: Arquivo/DS
O posto do Ministério do Trabalho em Mogi das Cruzes encerrou temporariamente as atividades por conta do furto de equipamentos eletrônicos, ocorrido no final de setembro, e mudança de imóvel. Desde então os atendimentos da unidade foram remanejados para o posto suzanense, que já apresenta indícios de sobrecarga na demanda, enquanto a administração define um novo espaço para a instalação da unidade mogiana. 
 
De acordo com a chefe do posto de Mogi, Aparecida Maria Rodrigues de Lima, o furto ocorreu no último final de semana de setembro. Computadores e impressoras foram levados do local, impossibilitando a execução de serviços essenciais. Além disso, a data coincidiu com o período de troca de imóvel da unidade, que atendia na Avenida Fausta Duarte de Araújo. Logo, a equipe permaneceu no espaço até 29 de setembro antes de os atendimentos serem transferidos a Suzano. "Ainda temos duas servidoras públicas no antigo prédio para orientar a população e fazer o serviço de protocolo. A maioria das atividades é agendada pelo site".
 
No posto suzanense, apenas Aparecida Maria atende a demanda mogiana dos serviços agendados, durante os dois plantões semanais e horários especiais em exceção. Apesar disso, a orientação trabalhista ainda acontece em Mogi. O remanejamento compreende os atendimentos dos trabalhadores de Mogi, Biritiba Mirim, Guararema e Salesópolis. "É sempre um transtorno para a clientela que precisa se locomover longas distâncias". A expectativa é de que a instalação do novo posto mogiano aconteça até dia 20. 
 
A chefe do posto de Suzano, Kassia Inomata, informou que a unidade tem registrado 50 atendimentos a mais, por semana, por conta do contratempo na cidade vizinha. "Prejudica a assistência que dávamos antes porque não são apenas agendamentos. Estamos recebendo também os outros atendimentos independentes. A saída seria agilizar a entrega do novo endereço em Mogi".
 
Samuel de Souza Moreno trabalha como analista de folha de pagamento em um escritório de contabilidade em Guararema. Após o impasse ocorrido, passou a realizar procedimentos no município suzanense. "É uma distância considerável para se locomover entre Guararema e Suzano. Esta já é a segunda vez que viajo ao município em um período de uma semana. Na última vez, achei o lugar lotado e levei duas horas para ser atendido. Em Mogi o movimento era tranquilo e o atendimento dinâmico. A gente fica na esperança de que voltemos logo à cidade". 
 
A auxiliar de departamento pessoal Bruna Fernanda de Freitas também realizou a segunda visita a Suzano e reclama da situação. "Estava agendado para Mogi, mas desmarcaram e passaram para Suzano. Meu último atendimento estava marcado para as 15h10, mas só fui recebida às 17 horas". O Ministério do Trabalho foi procurado, mas não respondeu até o fechamento da reportagem.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias