segunda 17 de junho de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 16/06/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Suzano

Moradores das proximidades do Ribeirão Balainho aprovam a conservação e preservação da microbacia

30 junho 2019 - 16h20Por de Suzano
Os moradores que residem nas proximidades do Ribeirão Balainho aprovam o convênio feito com o Fundo Estadual de Recursos Hídricos (Fehidro) em parceria com a Prefeitura de Suzano, para liberação de verbas para a elaboração de projeto de recuperação e conservação da Microbacia Hidrográfica do Ribeirão Balainho. 
 
O acordo foi firmado na última segunda-feira, 24, na capital paulista. O prefeito de Suzano Rodrigo Ashiuchi (PR) acredita que isso será importante para a segurança hídrica da cidade, por causa da boa qualidade da água, além de toda a questão ambiental envolvida. O rio Balainho nasce na porção sul de Suzano e deságua na represa de Taiaçupeba. O projeto tem como objetivo viabilizar boas práticas agrícolas aos moradores da região, além de realizar estudos e propor aos moradores a regularidade ambiental, com foco às questões de saneamento rural e de resíduos de regularidade da outorga do uso da água.
 
O aposentado Dorival Antonio Lourenço comenta que gostou do projeto e acredita que vai ajudar principalmente a situação da agricultura da região. "Isso vai ajudar muito na produção agrícola por aqui, creio que melhore a situação dos agricultores também, além de ajudar a população toda da região".
 
A autônoma Amanda Cristine Macedo diz que o projeto é válido se ajudar toda a região, principalmente pra quem depende de práticas agrícolas para sobreviver, já que nas proximidades do rio Balainho existem chácaras e inúmeros agricultores. 
 
"Para quem mexe com agricultura vai ser muito bom, e ajudará também na questão ambiental, algo importante pra todos", pontua.
 
Amanda ainda informa que além da preocupação com a questão hídrica da região, as estradas deveriam ser revitalizadas, já que quando chove a represa Taiaçupeba enche e impossibilita o acesso à algumas estradas, além de implicar na locomoção de veículos do transporte público.
 
A autônoma Sara Macedo compartilha das mesmas opiniões de Amanda, dizendo que a agricultura é uma prática constante na região e que agora com a preservação da Microbacia trará benefícios aos agricultores das proximidades.
 
A vendedora Noemi Regina da Conceição acha positiva a ideia do projeto de conservação e conta que é um avanço para a área da agricultura, já que é uma prática encontrada com frequência na região. "Isso vai ajudar bastante os agricultores, acho muito válido. Espero que outras melhorias sejam feitas por aqui também, como a questão da segurança e mobilidade", finaliza.
 
O projeto total tem valor de R$ 987.757,60, sendo R$ 654.998,60 por parte da Fehidro e R$ 332.759,00 da Prefeitura, valor que contempla os serviços de mão de obra realizados por colaboradores do município. (I.S.)