Envie seu vídeo(11) 97569-1373
Sintonize nossa Rádio101.5 FMClique e ouça ao vivo
Domingo 22 de Outubro de 2017

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 21/10/2017
mrv
Suzano

Motoristas abastecem carro e suspeitam de adulteração no combustível em posto

Ao menos, oito motoristas tiveram problemas nesta manhã, após sair de posto de combustível localizado na Rua Doutor Prudente de Moraes (SP-66), em Suzano

Por Marcus Pontes - De Suzano11 AGO 2017 - 18h23
Suzanense tirou gasolina do tanque e suspeita adulteração, em razão da coloração do combustívelFoto: Divulgação

Pelo menos, oito motoristas tiveram problemas nesta sexta-feira (11) após abastecer o carro em um posto de combustível Ipiranga, localizado na Rua Doutor Prudente de Moraes (SP-66), número 4.006, em Suzano. Segundo eles, o líquido danificou o motor do veículo, que parou de funcionar depois de sair do estabelecimento. As denúncias sobre uma possível adulteração no combustível foram encaminhadas à Delegacia Central. De acordo com a Agência Nacional do Petróleo (ANP), o caso será repassado à área responsável pela fiscalização para inclusão no planejamento das ações de fiscalização da agência.

“Eu abasteci, sai e no farol, o carro parou. Pelo menos sete pessoas também estavam paradas no posto por causa do mesmo problema. O preço atraiu a todos, mas acabamos nos prejudicando imensamente. Eu, por exemplo, consegui tirar o líquido”, disse o suzanense Marcelo Lopes Soares, que mostrou ao DS uma garrafa contendo gasolina com indícios de adulteração.

Soares disse ter voltado ao posto para tirar satisfações, porém, os funcionários do estabelecimento negaram-se a ajudá-lo. Isto porque que apenas o gerente teria autoridade para responder sobre os produtos, além de que iria chegar ao início da tarde. Segundo ele, a gasolina tirada do tanque apresentava duas colorações. “Eu sei que este pouco é a gasolina, o restante não faço à mínima ideia do que seja”, lamentou.

A Polícia Militar (PM) foi acionada, e encaminhou os clientes insatisfeitos à Delegacia Central. Somente Soares pôde registrar a ocorrência, pois conseguiu tirar o líquido do tanque do veículo.

Combustível inexistente

Para Ronaldo Bernardo, o estabelecimento comercial precisa ser investigado. Ele frisou ter abastecido o veículo, mas a gasolina nem sequer subiu no medidor de combustível. Também disse ter solicitado a Nota Fiscal, entretanto, os funcionários alegaram que não tinham como disponibilizar. “Vim à Delegacia, junto com outras cinco pessoas, e a escrivã não quer registrar. Ela fala que não consigo comprovar. Irei até a Delegacia Seccional”, reclamou.

ANP

Em nota, a ANP disse que identificando o problema relacionado à qualidade dos combustíveis em um posto. O estabelecimento é autuado e interditado cautelarmente no momento que a agência identifica a irregularidade.

Após julgamento definitivo do processo administrativo, quando o auto de infração é mantido pela decisão administrativa final, o agente está sujeito às sanções previstas na Lei n° 9.847/99, que incluem multa que pode chegar a R$ 5 milhões. 

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias