quinta 18 de abril de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 18/04/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Cidades

Produção agrícola se expandiu com chegada da colônia japonesa

18 junho 2017 - 08h00

Menos de 30% das áreas rurais de Suzano são utilizadas para produção agrícola. A informação foi divulgada pelo presidente do Conselho Deliberativo da Associação Cultural Suzanense, mais conhecido como o Bunkyo, Kazuhiro Mori. De acordo com ele, a produtividade há 60 anos era tão grande, que se deixasse de produzir, os estados de São Paulo e Rio de Janeiro registravam falta de verduras e frutas. "Nossa cidade, que fortalecia a região, era fundamental na lavoura", explicou. Para Mori, a colônia japonesa é e foi de extrema importância para o município há quase 100 anos. "A colônia era forte na plantação de algodão, batatas, repolho e alface. Os japoneses começaram a vir para o Brasil em 1908. O contrato de cada trabalhador era de dois anos. Chegaram a Suzano tempo depois e começaram uma grande revolução nesta área. Se via muitos japoneses nas lavouras. Acredito que transformaram e fizeram um grande papel na parte rural da cidade", explicou. Na época em que os imigrantes japoneses chegavam ao município para trabalhar na produção agrícola, ganhavam 2 mil réis por mês, o que representa atualmente R$ 20. As principais dificuldades enfrentadas eram a língua, comida e costume, que se diferenciava da origem asiática. De acordo com o presidente do Bunkyo, em 1958, foi o ano em que as lavouras começaram a se expandir. "Andava pela área rural de Suzano e vi muitas pessoas trabalhando nas lavouras. A produção era intensa principalmente nos bairros do Distrito de Palmeiras, como na Vila Ipelândia, e na região da Quinta Divisão. Os japoneses atuavam sem parar na produção agrícola", completou.

Deixe seu Comentário

Leia Também