sexta 21 de junho de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 21/06/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Cidades

Proteção metálica é instalada em toda a extensão da Marginal do Una

Cerca de 300 metros deste equipamento de segurança foram adicionados na via que liga a Índio Tibiriçá à Prudente de Moraes

04 novembro 2022 - 09h00Por de Suzano
A Secretaria de Transporte e Mobilidade Urbana de Suzano executou a instalação de aproximadamente 300 metros de defensa metálica em toda a extensão da avenida Governador Mário Covas Júnior, a Marginal do Una. O dispositivo, colocado durante a semana passada, tem como objetivo trazer mais segurança aos motoristas que trafegam pela via desde a rodovia índio Tibiriçá (SP-31), no bairro Vila Sol Nascente, até a rua Dr. Prudente de Moraes e início do viaduto Leon Feffer, na Vila Amorim.
 
Os trabalhos realizados pela pasta municipal abordaram tanto a implantação das defensas metálicas em locais da Marginal do Una que não possuíam essa barreira de segurança, quanto em pontos do traçado que já se valiam do aparato, mas que estavam desgastados em razão da ação do tempo.
 
Com o processo de revitalização concluído em dezembro de 2019, a Marginal do Una é uma das principais vias de Suzano, já que promove a ligação da Índio Tibiriçá com toda a região central da cidade e ainda faz a conexão com toda a área norte do município, além de dar opção ao motorista de seguir em direção no sentido de São Paulo ou Mogi das Cruzes.
 
Em razão disso, a secretaria destacou a necessidade de trazer mais segurança àqueles que passam pelo trajeto. “A quantidade de veículos, leves e pesados, que transitam pela via é significativa, portanto é preciso buscar mecanismos que possam dar mais tranquilidade para os que utilizam a Marginal do Una para se locomover. As defensas metálicas tem este objetivo de, no caso de um acidente, os veículos não atravessarem a pista para o sentido contrário ou caiam em uma vala ou rio”, destacou a pasta.
 
O fato de evitar que os veículos possam ser projetados para outros locais em razão de um acidente, por si só, já justifica a colocação do dispositivo de segurança, entretanto, este sistema de proteção ainda tem o poder de absorver parte do impacto de uma colisão. “As defensas metálicas também tem a prerrogativa de se deformar quando é atingida, desacelerando o veículo e evitando um impacto com algum objeto mais rígido, como um poste ou até mesmo outro veículo vindo em direção contrária, potencializando os danos”, definiu a Secretaria Municipal de Transporte de Mobilidade Urbana.