quinta 23 de maio de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 23/05/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Cidades

Região conta com 36 ações contra enchentes e reforça alerta após tragédia no RS

Em Suzano, a Defesa Civil conta com 15 integrantes, seis viaturas e vários tipos de equipamentos (inclusive bote inflável) para desempenhar suas funções

12 maio 2024 - 05h00Por de Suzano
A tragédia no Estado do Rio Grande do Sul trouxe alerta para as cidades da região. A rede de solidariedade aos desabrigados só aumenta, mas é preciso também reforçar os planos de combate às inundações. O DS fez levantamento e constatou, ao menos, 36 ações importantes desempenhadas pelas cidades.
 
Em Suzano, a Defesa Civil conta com 15 integrantes, seis viaturas e vários tipos de equipamentos (inclusive bote inflável) para desempenhar suas funções, que abrangem monitorar áreas de risco, realizar supressão de árvores com risco ou após queda, vistoriar rios e córregos, atuar em situações de desastres naturais, entre outras ações.
 
Não há alertas sonoros, mas Suzano dispõe de pluviômetros em todas as regiões que apontam o volume de chuva por meio da medição do nível dos principais rios que cortam a cidade. A Defesa Civil atende pelos números (11) 4748-5394 e 4747-8897. Em situações de emergência, com a inclusão de servidores de outros setores e voluntários, o número de pessoas pode chegar a cerca de cem.
 
Também são feitas orientações que incluem se abrigar em local seguro, evitar o contato com a água e acionar a Defesa Civil. Para auxiliar no trabalho junto à população, o setor tem capacitado pessoas por meio do Núcleo Comunitário de Proteção e Defesa Civil (Nupdec). Trata-se de uma iniciativa que tem como objetivo preparar grupos de moradores para atuação emergencial em casos nas comunidades, como enchentes, tragédias naturais, acidentes domésticos, ataques de animais peçonhentos, entre outros.
 
Por meio da capacitação, os participantes se tornam aptos a acionar as autoridades de maneira mais eficiente e detalhada, inclusive auxiliando os profissionais no atendimento de vítimas. Nos últimos anos, mais de 400 suzanenses passaram pela formação.
 
Em Suzano, os trabalhos que visam combater os impactos causados pelas chuvas são realizados pela Prefeitura de Suzano durante o ano todo. As ações envolvem o monitoramento dos locais abrangidos pelas 45 áreas de risco existentes hoje na cidade pela Defesa Civil e também serviços diversos, principalmente desobstrução de bueiros, reformas de galerias, limpeza de valas de drenagem, desassoreamento de rios e córregos (como no Tietê, que está em andamento atualmente) e limpeza urbana, por parte da Secretaria de Manutenção e Serviços Urbanos.
 
Além disso, em 2023, a Secretaria Municipal de Segurança Cidadã preparou o Plano Municipal de Contingência da Defesa Civil (Plamcon) de Suzano. O objetivo é que seja ativado em qualquer circunstância que indique algum risco para as áreas que são previamente monitoradas pela administração municipal, tanto em pontos situados nos locais de encostas como em margens de rios.
 
Para estas e outras ocorrências, quer estejam incluídas ou não no mapeamento, são acionadas todas as outras secretarias municipais relacionadas ao suporte à população, como Assistência e Desenvolvimento Social, para eventuais acolhimentos, além das pastas de Educação e de Esportes e Lazer, para necessidade de disponibilização de locais para abrigo. 
 
Em Mogi das Cruzes, durante o período de chuvas, a Defesa Civil de Mogi das Cruzes mantém contato contínuo com a Defesa Civil do Estado, acompanhando os alertas e previsão do tempo para o planejamento de ações. Neste período, entre os meses de dezembro e março, é realizada a Operação Verão, em que o órgão municipal permanece em alerta, juntamente com equipes de outras secretarias municipais que atuam no atendimento em casos de emergências.
 
Mogi das Cruzes conta com duas sirenes para alertar moradores em casos de alagamento. Elas estão localizadas na Praça da Bandeira (Centro) e na Praça Francisca de Campos Mello Freire, conhecida como Praça dos Infartados (Parque Monte Líbano). Os equipamentos são acionados em casos de alagamento eminente para alertar motoristas para que possam retirar seus veículos e moradores e comerciantes para adotarem medidas de prevenção. Em Ferraz, a Defesa Civil utiliza de placas, faixas, carro de som e redes sociais para informar a população.
 
Foram construídos dois reservatórios de amortecimento de cheias, um barramento e está iniciando a construção de mais um barramento cuja finalidade é reduzir o efeito das enchentes em áreas urbanas. A Prefeitura de Ferraz está licitando também o plano de macro-drenagem para diagnosticar os problemas existentes ou previstos no horizonte do projeto e determinar do ponto de vista técnico-econômico e ambiental, as soluções mais interessantes.
 
Ao longo do ano, a Prefeitura de Guararema, por meio da Secretaria de Obras, Meio Ambiente, Planejamento e Serviços Públicos realiza trabalhos prévios para minimizar os impactos causados pela chuva.
 
Ações de zeladoria constam da lista de trabalhos
 
Ações de zeladoria e obras públicas buscam reduzir também os riscos de enchentes.
 
Em Poá, as ações foram intensificadas no último trimestre do ano, preparando a cidade para a chegada das chuvas de verão. Importante frisar que as ações de prevenção continuam, por meio de ação conjunta da Defesa Civil, GCM, Secretarias Municipais de Meio Ambiente; e Serviços Urbanos.
 
A cidade realizou obras de mobilidade urbana na região central, incluindo a drenagem e implantação de galerias de águas pluviais na rua João Pekny, construção de um muro de contenção no Córrego Campo Grande e revitalização no Córrego Água Vermelha, beneficiando toda a região da Nova Poá.
 
Em Itaquá, a Prefeitura de Itaquaquecetuba informa que a Defesa Civil atua no monitoramento das áreas de risco e conta com sirenes e alto-falantes instalados nas viaturas, além de botes para o resgate, caso haja necessidade. A orientação é de que os moradores mantenham-se atentos quanto às condições meteorológicas por meio de SMS que é enviado pelo órgão e, em caso de tempestade, busque abrigo seguro. As equipes devem ser acionadas para emergências pelo 199 e para dúvidas pelo (11) 4642-4499.
 
A administração investiu mais de R$ 6 milhões no combate e prevenção de enchentes, com intervenções na infraestrutura em áreas vulneráveis a possíveis intercorrências motivadas pelas condições climáticas. Além disso, outro grande feito foi a construção do muro de contenção do Louzada, que corta as ruas Águas Formosas e Joaquim Torres dos Santos. Com investimento de R$ 5,5 milhões, a obra fortaleceu a segurança da região e revitalizou parte da infraestrutura comprometida por deslizamentos de terra.

Deixe seu Comentário

Leia Também