Envie seu vídeo(11) 97569-1373
domingo 27 de setembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 27/09/2020
ÚNICCO POÁ
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
Pmmc Sarampo
PMMC COVID SAÚDE

Região registra 110 casamentos homoafetivos em dois anos, diz IBGE

01 DEZ 2015 - 07h00

 As dez cidades do Alto Tietê registraram 110 casamentos homoafetivos em dois anos. Em 2013, 51 uniões foram computadas e, em 2014, 59, o que representa um aumento de 15,7%. Os dados foram divulgados ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e fazem parte do levantamento Estatísticas do Registro Civil.

Em dois anos, o maior número de uniões entre o mesmo sexo foi computado no sexo feminino, com 64 registros. Foram computados 46 casamentos entre casais do sexo masculino no mesmo período.

Mogi das Cruzes teve o maior número uniões homoafetivas nestes dois anos: 39. Em seguida, aparece Suzano, com 23. Guararema e Salesópolis não computaram dados. Em todo o País houve 4.854 casamentos entre cônjuges de mesmo sexo.

DIREITO À UNIÃO

Em 2011, o Superior Tribunal Federal (STF) votou pela concessão do direito à união estável para homossexuais. Mas somente a partir de 14 de maio de 2013 os casamentos foram autorizados. Em todo o País, em 2014, houve 4.854 registros de casamentos (0,4% do total de casamentos) entre cônjuges de mesmo sexo. Destes, 50,3% (2.440) eram entre cônjuges femininos e 49,7% (2.414) entre cônjuges masculinos.

A partir de 14 de maio, quando se iniciou os registros dos casamentos homoafetivos, até o final do ano de 2013, foram registrados 3.701 casamentos no Brasil. Observou-se que o Sudeste (60,7%) concentrou o maior percentual de uniões homoafetivas, seguido, em proporções bem menores, pelas regiões Sul (15,4%); Nordeste (13,6%); Centro-Oeste (6,9%) e Norte (3,4%). Na região Sudeste, as maiores concentrações percentuais de uniões homoafetivas foram evidenciadas no estado de São Paulo com 66,9 % para o conjunto masculino e 71,9% para o feminino.

BASES

A edição 2014 das Estatísticas do Registro Civil mostra as transformações na sociedade brasileira ao longo de 40 anos. O estudo resulta da coleta das informações prestadas pelos Cartórios de Registro Civil de Pessoas Naturais, Varas de Família, Foros ou Varas Cíveis e os Tabelionatos de Notas do País. Em São Paulo, os dados resultam de convênio entre o IBGE e a Fundação Sistema Estadual de Análises de Dados (Seade).

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias