quinta 20 de junho de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 20/06/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Suzano

Representatividade da mulher negra é debatida no Cineteatro

Evento marcou o início da programação de atividades do Mês da Mulher preparadas pela Prefeitura de Suzano

08 março 2019 - 23h54Por de Suzano
A luta de 8 de março, data em que é celebrado o Dia Internacional da Mulher, foi relembrada na manhã desta sexta-feira (8) durante evento no Cineteatro Wilma Bentivegna, sobre a representatividade da mulher negra nos tempos atuais. 
 
O encontro marcou o início da programação de atividades preparadas pela Prefeitura de Suzano e contou com a presença da presidente do Fundo Social de Solidariedade e dirigente do Serviço de Ação Social e Projetos Especiais (Saspe), a primeira-dama Larissa Ashiuchi.
 
A abertura ainda teve a participação da presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (CMDM), Michele Carlete, da presidente da Comissão da Mulher Advogada da OAB Suzano, Maria Margarida Mesquita, e da coordenadora da Patrulha Maria da Penha da Guarda Civil Municipal (GCM), Rosemary Caxito. 
 
O debate foi liderado por Maria Monteiro, membro do CMDM. Ela dividiu a palavra com a coordenadora do curso Promotoras Legais Populares, Sandra Nogueira, e com a guarda civil Rosemary Caxito. Na oportunidade, foi exibida uma entrevista do Nexo Jornal com a filósofa Djamila Ribeiro sobre o feminismo negro e, após o vídeo, o espaço foi aberto à participação da plateia para compartilhar experiências pessoais e apontar dúvidas sobre o tema.
 
Assuntos como a violência contra a mulher negra, luta histórica, características do racismo brasileiro, miscigenação, mercado de trabalho, representatividade da mulher idosa e a discussão crítica da branquitude também foram abordados. A prima-dama reforçou a importância da abertura do espaço público, do lugar de fala no debate e dos índices alarmantes ainda existentes contra a população negra. “Neste dia não temos que comemorar e dar os ‘parabéns’. É uma data de reflexão sobre a luta das mulheres na busca por direitos na equidade de gênero”, disse Larissa.
 
A guarda civil Rosemary apresentou dados sobre a violência doméstica em Suzano do ano passado, quando foram conferidas mais de 300 medidas protetivas, sendo apenas 22 para mulheres negras.
 
A questão levantou alerta para as condições de atendimento em segurança desse público, que ainda sofre com o preconceito, conforme exposto pelas participantes do debate. Foi lembrado que Suzano conta com uma Delegacia de Defesa da Mulher há três anos e com a Patrulha Maria da Penha há quatro, que segue como referência com o Selo Nacional de Prática Inovadora entregue pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública.
 
O evento ainda teve a participação da secretária de Administração, Cíntia Renata Lira, do secretário de Meio Ambiente, Edson Gianuzzi, da vereadora Neusa dos Santos Oliveira, da secretária da Junta Militar, Sônia Hernandez, e do representante do grupo reflexivo Homens Pelo Fim da Violência Contra a Mulher, César Braga.

Deixe seu Comentário

Leia Também