sexta 12 de abril de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 12/04/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Cidades

Setor metalúrgico fecha 36 empresas e demite 400 funcionários

Expectativa é de que ramos específicos demonstrem alguma melhora

25 agosto 2017 - 08h40Por Marília Campos - De Suzano
O setor metalúrgico fechou 36 empresas na cidade durante os três últimos anos. O Sindicato dos Metalúrgicos de Suzano ainda aponta que o encerramento das atividades nas micro e pequenas empresas geraram ao menos 400 demissões no município. A expectativa é de que ramos específicos, como o automobilístico, demonstrem alguma melhora neste segundo semestre. Contudo, o cenário ainda é preocupante. 
 
De acordo com o presidente da entidade sindical, Pedro Benites, 36 micros e pequenas empresas fecharam em Suzano nos últimos três anos, o que resultou na demissão de pelo menos 400 pessoas. "O problema maior veio com a crise. Ao longo dos anos, as empresas pequenas não conseguiram se manter devido à falta de incentivo fiscal. As empresas maiores sofrendo, reflete aqui. As empresas maiores davam serviço para as menores e, conforme foi diminuindo (a demanda), as grandes (empresas) começaram a executar o (próprio) serviço externo. Com isso, as pequenas não aguentam e fecham as portas".
 
Para Benites, a situação é crítica e setores específicos poderão demonstrar sinais de recuperação. "É difícil achar uma luz no fim do túnel. Pelo o que calculávamos e o que os economistas acreditam, é que no segundo semestre as condições estarão melhor. Mas são poucos setores que vão conseguir (melhorar), a maioria ainda passa por dificuldades. E, durante o ano de eleições (presidenciais, 2018), fica ainda mais difícil", disse. 
 
"Temos algumas empresas pontuais que conseguirão trabalhar, setores como automobilístico deram uma pequena aquecida e isso faz com que as (micros e pequenas) empresas que estão ligadas diretamente possam também produzir. Aqui (em Suzano) foram os setores de máquinas (que aqueceram), mas eu calculo que não ultrapasse 10% de melhora". 
 
Além da perda de empregos gerada pelo fechamento das empresas, os grandes cortes de funcionários reduziram 20% da categoria. Hoje, porém, essas demissões em massa recuaram 70%. "Para nós, um dos pontos principais foi que as demissões em massa reduziram em 70%. Isso foi uma grande vantagem. Contudo, não significa que a economia está boa, falta muito para melhorar", finalizou. 

Deixe seu Comentário

Leia Também