segunda 27 de maio de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 26/05/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Cidades

Suzano dá início aos preparativos da 6ª Conferência das Cidades

Encontro definiu membros da comissão organizadora

03 maio 2024 - 20h00Por De Suzano

A Secretaria Municipal de Planejamento Urbano e Habitação promoveu nesta sexta-feira (03/05), no Cineteatro Wilma Bentivegna, uma reunião preparatória para a realização da 6ª Conferência das Cidades de Suzano, marcada para 8 de junho. O encontro reuniu representantes do Conselho Municipal de Desenvolvimento Urbano e Rural (Comdur), do Conselho Municipal de Habitação (CMH) e do Conselho Municipal de Transporte (CMT), além de membros de entidades civis ligadas à questão da moradia. Cerca de 40 pessoas marcaram presença.

A atividade teve como objetivo a definição dos nomes que farão parte da comissão organizadora do evento. Neste sentido, ficou acertado que o grupo seria formado por sete pessoas, sendo quatro nomes ligados ao Poder Público e três representantes da sociedade civil. Por parte da administração municipal, integram a lista a diretora de Planejamento Territorial, Eliene Coelho; o assessor da diretoria de Habitação, Valdecir Alves; a arquiteta da diretoria de Habitação, Leticia Mianni e o assessor da Secretaria Municipal de Governo, Jeziel Magalhães. Das entidades ligadas à moradia surgiram os três nomes da sociedade civil: Andréia Vaz Tostes, da Associação Beneficente Buscando Meu Lar (Abusmelar); Nice Couto, da Federação das Associações Comunitárias do Estado de São Paulo (Facesp); e Maria Aparecida de Mattos, da Central Pró-Moradia Suzanense (Cemos).

Os escolhidos serão responsáveis pela elaboração do regimento da conferência municipal, pelo planejamento da infraestrutura necessária para a realização dessa etapa e pela mobilização da sociedade e do Poder Público em torno do evento, que reunirá contribuições destinadas à proposição de políticas públicas referentes ao setor. 

As contribuições poderão ser levadas à 7ª Conferência Estadual das Cidades, que será nos dias 5 e 6 de julho, no Memorial da América Latina, na capital paulista, com até 25 delegados de Suzano, e para a 6ª Conferência Nacional das Cidades, a ser realizada em novembro, em data ainda a ser definida, com base no tema. “Construindo a Política Nacional de Desenvolvimento Urbano: caminhos para cidades inclusivas, democráticas, sustentáveis e com justiça social”.

As três etapas de discussão respeitarão os três eixos temáticos definidos pelo Ministério das Cidades para este ano. O primeiro prevê a “articulação entre os principais setores urbanos e com o planejamento das políticas públicas de Habitação, Saneamento e Mobilidade”. O segundo se relaciona à “gestão estratégica e financiamento”, agregando gestão do controle social e gestão metropolitana. Já o terceiro eixo discutirá temas transversais, passando por ações ligadas à “sustentabilidade, emergências climáticas, transformação digital, segurança e enfrentamento de controle armado”.

O diretor de Habitação da prefeitura, Miguel Reis, destacou que a atividade desta sexta-feira representa um passo importante no conjunto de ações relacionadas à realização da Conferência das Cidades no município. “A definição da comissão organizadora é fundamental para começarmos as reuniões diárias com o grupo de trabalho que se dedicará ao evento. A participação da sociedade civil, ao lado dos membros do Poder Público em todas as atividades relacionadas ao processo, garante uma representatividade de todos os agentes envolvidos nas questões que serão discutidas”, avaliou o diretor.

O secretário municipal de Planejamento Urbano e Habitação, Elvis Vieira, afirmou que a Conferência das Cidades será mais uma grande oportunidade para a construção de entendimentos sobre questões ligadas à organização do município e o direito à moradia. “Essa etapa é muito relevante para que possamos debater propostas e traçar diretrizes para o avanço de Suzano, tendo sempre como foco a qualidade de vida dos moradores. A participação democrática será garantida pela contribuição de administradores públicos, movimentos populares, representantes de sindicatos e de conselhos profissionais, empresários, pesquisadores e organizações não governamentais, além de entidades ligadas ao setor”, destacou o chefe da pasta.