segunda 15 de abril de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 14/04/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Cidades

Suzano e Poá estão entre as 50 cidades do País com melhor mobilidade urbana

Para calcular a pontuação, o levantamento feito pela Urban Media Reports levou em consideração 11 indicadores. Mais de 500 cidades foram analisadas

08 julho 2017 - 10h31Por Gabriele Doro - De Suzano
Suzano e Poá estão entre as 50 cidades com a melhor mobilidade urbana. A informação é do Ranking Connected Smart Cities 2017, divulgado pela Urban Media Reports. Mais de 500 municípios foram analisados para o levantamento.
 
A cidade suzanense ficou na 46ª colocação, com uma pontuação de 1,28. Já Poá conquistou o 42º lugar, com um índice de 1,31. Para calcular a pontuação, o levantamento levou em consideração 11 indicadores, entre eles, idade média da frota, quantidade de ônibus em relação a quantos habitantes a cidade possui, acessibilidade (rampas para cadeirantes), ciclovias e outros modais de transporte coletivo. As outras cidades do Alto Tietê não foram citadas no ranking.
 
Os melhores desempenhos ficaram para as grandes cidades. São Paulo ocupou a primeira colocação, com um pontuação de 3,381. O município é seguido de Brasília, Rio de Janeiro, Curitiba e Belo Horizonte.
Segundo o levantamento, um dos motivos para que a Capital paulista ficasse na primeira colocação é pelo fato de ter uma ampla rede de Metrô e trem (em relação as demais cidades), além disso possui 400 quilômetros de ciclovia e corredores de uso exclusivo ou prioritário para ônibus.
 
O levantamento faz parte do Ranking Connected Smart Cities, que analisou as cidades consideradas mais inteligentes do País. O conceito é agregado de diversos parâmetros, como mobilidade, urbanismo, empreendedorismo, saúde, economia, educação, entre outros. São 11 setores analisados. A pesquisa considera que eles retratam a inteligência, conexão e sustentabilidade. “Vale ressaltar que os exemplos de conexões dos setores são numerosos e essa visão, que apoia a escolha dos indicadores e eixos desenvolvidos, não busca substituir outras visões de cidades inteligentes”.