sábado 22 de junho de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 21/06/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Dados do Caged

Suzano lidera ranking de empregos no Alto Tietê, com geração de 569 oportunidades

Além de ser a responsável por puxar o saldo positivo da região, o município foi o único a criar mais de 500 em um único setor

24 maio 2019 - 15h36Por Marcus Pontes - de Suzano
Suzano lidera o ranking de abril na geração de empregos formais (com carteira assinada) do Alto Tietê. Foram criadas 569 oportunidades, sendo que, 549 foram só no setor de serviços, como contabilidade, almoxarifado, recursos humanos e etc. O resultado é a diferença entre contratações e demissões. A região gerou 954 empregos formais. As informações são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados nesta sexta-feira, 24, pelo Ministério da Economia.
 
Além do setor de serviços, a alta geração de empregos na cidade suzanense também foi puxada por comércio (17); construção civil (14); e indústria de transformação e serviços industriais de utilidade pública (3 cada). Por outro lado, o município também fechou postos de trabalho. Em administração pública houve redução de dez. Seguido de agropecuária, com a perda de seis e extrativa mineral, contendo um.
 
REGIÃO
 
Na região, o saldo também é positivo, mas há um agravante se comparado ao mesmo período do ano passado, já que este ano foram geradas 954 vagas, contra 1.104, uma redução de 13,59%. 
 
Ferraz de Vasconcelos é a segunda cidade na lista de criação de empregos formais. O saldo de contratações foi de 229. O principal responsável por isto foi o setor de indústria de transformação, totalizando 166; seguido de comércio, com 39; e serviços com 27. 
 
O terceiro município é Itaquaquecetuba. Em abril deste ano, 217 oportunidades foram criadas. As vagas com carteira assinada estão diversificadas em indústria de transformação (90); serviços (63); comércio (46); e construção civil (20). Mais duas cidades tiveram saldo positivo: Arujá (138) e Guararema (57). 
 
Vagas fechadas
 
Se por um lado cinco cidades tiveram resultados positivos, o restante não seguiu o mesmo cenário. Segundo dados do Caged, Mogi das Cruzes puxou a lista do fechamento de postos de trabalho. Foram 3.074 contratações contra 3.228 demissões, ou seja, o fechamento de 154 oportunidades com carteira assinada.
 
Para se ter ideia, o município fechou 237 empregos formais só no setor de indústria de formação, seguido de serviços (45). 
 
Poá vem em seguida, com a extinção de 52 postos de trabalho. Santa Isabel aparece em terceiro, com o fechamento de 39 empregos formais. Seguido de Biritiba Mirim (10) e Salesópolis (1). 
No país, o saldo foi positivo. Foram criadas 129.601 vagas de emprego com carteira assinada.

Deixe seu Comentário

Leia Também