quinta 18 de abril de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 18/04/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Cidades

Suzano monitora ações contra o crack após operação na Cracolândia

01 junho 2017 - 08h00

Após a operação realizada pelo governo do Estado e pela Prefeitura de São Paulo, nas últimas semanas, na Cracolândia, para acabar com o tráfico de drogas, enviar dependentes químicos para abrigos e "limpar" a área, Suzano intensificou o monitoramento e ações contra o crack. Entre os locais escolhidos para receber o reforço na fiscalização está a Estação Suzano, da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). Isso porque a Cracolândia, fica no bairro da Luz, mesmo local da estação final de trem da Linha 11-Coral. Segundo a Secretaria de Segurança Cidadã, desde o início da operação na região, conhecida como Cracolândia, as equipes da pasta monitoram os acessos à Estação Suzano. Além disso, a Secretaria de Saúde frisa que fará uma campanha preventiva nas escolas e a Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social adianta que o trabalho desenvolvido pelo Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), de abordagem aos moradores em situação de rua, foi intensificado nas últimas semanas, também em decorrência da ação realizada na Capital paulista. "Durante as abordagens, alguns moradores/usuários de entorpecentes aceitam o acolhimento. Enquanto outros são encaminhados às famílias", pontua a pasta. Preocupada com a situação e possível migração das pessoas em situação de rua de São Paulo para Suzano, em decorrência da proximidade das estações de trem, a Associação da Melhor Idade - Projeto Qualidade de Vida, protocolou dois ofícios, um na Prefeitura e outro na Comissão de Políticas Sociais da Câmara. De acordo com o presidente, Marcos Antonio Costa, os ofícios foram entregues na última semana e tem por objetivo, além do cadastro das pessoas em situação de rua, o acompanhamento para reinserção na sociedade. "Queremos que a municipalidade tome providências com acompanhamento médico e psicológico para aqueles que queiram. Além disso, pedimos o monitoramento da Praça João Pessoa, local onde ocorre tráfico de drogas e prostituição em plena luz do dia. Também pedimos um posicionamento sobre as ações que são realizadas hoje em relação a este público", explica. O posicionamento, tanto encaminhado à Prefeitura quanto à Câmara, para a Associação deve sair em 30 dias. "Queremos impedir que Suzano se torne rota para esses moradores de rua. Caso não tenhamos um posicionamento e providências não sejam tomadas, ingressaremos com ação no Ministério Público (MP)", completa. REGIÃO O assunto também repercutiu na região. Em Mogi das Cruzes, por exemplo, a Câmara chamou atenção da Secretaria de Assistência Social e sugeriu um trabalho de prevenção para evitar que a cidade também vire rota das pessoas retiradas da região central de São Paulo. Os vereadores alegaram que após a ação conjunta da Prefeitura de São Paulo e da Polícia Militar (PM), que levou à debandada dos dependentes químicos, é provável que parte deles cheguem a Mogi pelos trilhos do trem.

Deixe seu Comentário

Leia Também