Envie seu vídeo(11) 97569-1373
Sintonize nossa Rádio101.5 FMClique e ouça ao vivo
Domingo 22 de Outubro de 2017

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 21/10/2017
mrv

Suzano sedia 4ª Conferência Regional da Igualdade Racial

Encontro, aberto ao público geral, contará com palestras e definirá propostas para a promoção da igualdade

Por Marília Campos - De Suzano29 SET 2017 - 10h20
Conferência será aberta ao público e contará com palestrasFoto: Bruna Nascimento/Divulgação
A 4ª Conferência Regional da Igualdade Racial acontecerá no sábado (29), no Centro Cultural Francisco Carlos Moriconi, das 9 às 15 horas. Esta é a primeira vez que o evento é sediado no município por chamamento dos movimentos de representação. O encontro, aberto ao público geral, contará com palestras e definirá propostas para a promoção da igualdade seguindo a temática estabelecida pela Organização das Nações Unidas (ONU): Década Internacional de Afrodescendentes.
 
Em Suzano, o Coletivo Antirracismo Milton Santos, da subsede do Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeosp), e o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento (CPD) Sociocultural Negro Sim encabeçam a conferência. "Qualquer um pode participar. O tema debaterá os avanços, desenvolvimentos e perspectivas para o futuro desta década. A conferência tira propostas para encaminhar o futuro", explicou Inês da Silveira, representante do Coletivo Antirracismo.
 
O encontro reunirá ainda agentes da Associação Afro Ogban, Unegro- União de Negros pela Igualdade, Conselho Municipal da Comunidade Negra de Poá, Casa de Cultura Raízes, Comunidade Indígena Tribo Kariboka e o Conselho Municipal de Promoção e Igualdade Racial (Compir) de Suzano. "O intuito da década, que vai de 2015 a 2024, é pautar políticas públicas que acessibilizem os serviços de educação, saúde, moradia, segurança e demais esferas aos afrodescendentes", completou Cosme Nascimento, presidente do CPD Sociocultural Negro Sim.
 
Em entrevista ao DS, a dupla falou sobre a importância do debate. "Conseguimos o Estatuto da Igualdade Racial, em 2009, e a lei 10.639/2003 que coloca a real história brasileira e a cultura afrobrasileira no currículo escolar. Mas isso ainda acontece pontualmente. A lei não foi complementada nas escolas efetivamente. Com o atual governo golpista, há retrocesso com a retirada das matérias de história e artes", critica Inês. "Suzano ignora essa lei que rege a história do povo negro. Os professores não se conscientizaram para a verdadeira história do povo brasileiro e ainda hoje a África é tratada como um país. Nossos adolescentes sofrem em todas as ordens por não conhecerem suas origens", enfatizou.
 
A fala é completada por Cosme. "Suzano já teve e tem muitos casos de racismo. Fazemos palestras nas escolas de todo o Estado, conforme a demanda, porque acreditamos que a educação é meio que transforma a sociedade". 
 
A 4ª Conferência Regional da Igualdade Racial tem palestras confirmadas com Eliane Lisboa, do Conselho Municipal da Comunidade Negra de Poá, e Juliana Delfino, da Casa de Cultura Raízes em Ferraz de Vasconcelos. O encontro acontece a cada quatro anos e reúne as cidades de Suzano, Mogi das Cruzes, Poá e Ferraz. 
 
Após a etapa regional, uma delegação será encaminhada para o âmbito estadual, em novembro, e posteriormente o debate é elevado à federação, onde geralmente 500 propostas são levantadas por grupos de todo o País. Isso resulta na criação de medidas que promovem a igualdade, a exemplo do Estatuto da Igualdade Racial e a lei 10.639/2003, conforme citados por Inês. 

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias