Envie seu vídeo(11) 97569-1373
Sintonize nossa Rádio101.5 FMClique e ouça ao vivo
Segunda 11 de Dezembro de 2017

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 10/12/2017
mrv
Fiscalização em Suzano

Vigilância Sanitária determina recolhimento de 7 alimentos com insetos e fungos

Determinação foi publicada ontem e segue pedido da Vigilância do Estado de São Paulo

Por Gabriele Doro - de Suzano30 SET 2017 - 09h00
Estabelecimentos precisam recolher produtosFoto: Bruna Nascimento/Divulgação
A Vigilância em Saúde determinou o recolhimento e proibiu a comercialização de sete alimentos nos estabelecimentos de Suzano. A determinação foi publicada ontem. Entre os problemas encontrados nos produtos estão fragmentos de insetos e fungos.
 
A proibição foi feita em três comunicados. A explicação é que a Diretoria de Vigilância em Saúde atende a princípios previstos na Constituição Federal e na Lei Estadual. A assessoria de imprensa da Prefeitura de Suzano informou que a decisão foi tomada por determinação da Vigilância do Estado de São Paulo.
 
Entre os produtos com problemas, cinco azeites estão na lista. Eles são das seguintes marcas: Torre de Quintela (lote 0817H16), Malaguenza (lote 1623F), e três são da Olivenza (lotes 1706D16, 0821K16 e 1520A17). 
 
Não há especificação no comunicado do porque estes produtos são proibidos de serem comercializados. Porém, em julho deste ano, uma operação da Secretaria do Estado da Saúde detectou irregularidades em seis fabricantes de azeites, que tiveram suas unidades de fabricação interditadas. Entre elas, estão as marcas citadas. O principal problema constatado foi de que as empresas comercializavam óleo de soja ou óleo misto como se fossem azeite.
 
OUTROS PRODUTOS
Outros dois produtos tiveram problemas constatados. A Vigilância determinou o recolhimento do café torrado e moído, da marca 3 Fazendas (lote 054243). Isso porque, segundo a publicação, houve conclusão insatisfatória do produto por ser constatado “fragmentos de insetos acima do limite tolerado e outras matérias estranhas não permitidas (pelos animal não característicos de roedores, fio de cabelo e fibra sintética)”.
 
Também ficou proibida a comercialização do amendoim, da marca Kodilar (lote 223-4). No produto foi constatado um tipo de fungo (aflatoxinas) acima do limite tolerável. Este fungo pode causar contaminação e apresentar risco à saúde.
 
FISCALIZAÇÃO
A Prefeitura informou que após a publicação, primeiramente será feito um trabalho de divulgação. Depois, uma fiscalização será iniciada. “Se um estabelecimento for flagrado com o produto proibido, será notificado a fazer o recolhimento. Se houver reincidência, o estabelecimento é interditado, para que a retirada seja feita. O local só é liberado depois de uma nova vistoria da Vigilância. A multa só será aplicada depois de avaliação da Vigilância”, explicou em nota.
 
Segundo a Vigilância, os estabelecimentos que tiverem este tipo de produto devem recolhê-los imediatamente, além de entrar em contato com o órgão nos telefones 4745-2063 ou 4745-2064.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias