segunda 27 de maio de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 26/05/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Cidades

Vigilância Sanitária oferece curso de Boas Práticas para comércio alimentício

Capacitação ocorrerá nos dias 21 e 22 de maio

04 maio 2024 - 17h00Por De Suzano

A Secretaria de Saúde de Suzano, por meio da Vigilância Sanitária, realiza nos dias 21 e 22 de maio, das 17 às 21 horas, mais uma edição do curso “Boas Práticas para o Comércio de Alimentos”. As atividades ocorrerão no Anfiteatro Orlando Digenova, que fica no Centro de Educação e Cultura Francisco Carlos Moriconi (rua Benjamin Constant, 682 – Centro).

No total, 160 vagas estão sendo oferecidas, sendo 80 destinadas a trabalhadores de açougues, supermercados, minimercados e peixarias e outras 80 para quem atua em bares, lanchonetes, restaurantes, padarias e mercearias. Os cursos serão ministrados pela própria equipe do órgão municipal e visam proporcionar “reciclagem aos funcionários e proprietários de estabelecimentos do ramo alimentício”.

Os interessados podem realizar a inscrição por meio do site http://sympla.com.br/produtor/visasuzano, no telefone (11) 4745-2060 ou na sede da Vigilância Sanitária de Suzano, que fica no Centro Unificado de Serviços, o Centrus (avenida Paulo Portela, 210, 3º andar, sala 303 – Centro). Os cadastros podem ser feitos até a data de cada curso.

O diretor do setor, Mauro Vaz, explicou que a capacitação será dividida por segmento visando facilitar o aprendizado dos trabalhadores. “Vamos fazer em dois dias e dividir as turmas para que quem trabalha em açougues, supermercados e peixarias tenha a capacitação ideal para sua área. No dia 21 voltaremos nossas atenções a essas pessoas, instruindo sobre produtos que podem ter problemas caso não tenham uma boa refrigeração, entre outros assuntos. Já no dia 22, vamos focar nos demais comércios aqui da cidade”, detalhou.

O diretor também afirmou que os comerciantes devem valorizar a capacitação e realizá-la caso haja possibilidade. “É uma reciclagem. O estabelecimento que receber esse curso já estará sendo instruído. Os funcionários vão saber como funcionam as diretrizes sanitárias para ficar em dia com a Vigilância Sanitária”, concluiu Vaz.