sexta 21 de junho de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 21/06/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Lance Livre

Lance livre - 06/09/2015

06 setembro 2015 - 08h00

Recursos insuficientes O repasse de incentivos para o custeio da Assistência Farmacêutica na Atenção Básica em Saúde está cada vez mais defasado. A constatação é da Confederação Nacional de Municípios (CNM) que elaborou um estudo em que apontou que o índice representa insuficiência de 41,8% na desatualização dos valores de recursos repassados. Assistência Farmacêutica A Assistência Farmacêutica na Atenção Básica em Saúde faz parte da Política Nacional de Assistência Farmacêutica do Sistema Único de Saúde (SUS). Grupo de ações Ela envolve um grupo de ações desenvolvidas de forma articulada pelo Ministério da Saúde, Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde e do Distrito Federal. Custeio e fornecimento O objetivo é garantir o custeio e o fornecimento de medicamentos e insumos essenciais destinados ao atendimento prioritário da Atenção Básica. Trajes das mulheres Após pedido de deputadas incomodadas com os trajes "sensuais" usados por mulheres na Câmara Federal, em Brasília, a Mesa Diretora vai desenvolver um projeto para estabelecer um código de vestimenta na Casa de Leis. Elaboração de projeto O deputado Beto Mansur (PRB-SP), primeiro-secretário, adotou a ideia e disse que vai elaborar um projeto com regras para impedir abusos no vestuário feminino. Em seguida, ele apresentará o texto aos outros parlamentares dirigentes. Regras na região A iniciativa de colocar regras nas roupas femininas é um precedente que pode atingir outros poderes legislativos, como as câmaras municipais, disse esta semana um vereador da região. Só os homens Algumas deputadas da Câmara Federal defendem que apenas os homens têm normas de vestuários, obrigados a usarem terno e gravata. Crise na saúde O presidente da Federação das Santas Casas e Hospitais Beneficentes do Estado de São Paulo (Fehosp), Edson Rogatti, foi ouvido na CPI das Santas Casas, em reunião realizada na quinta-feira na Assembleia Legislativa. Situação caótica Rogatti expôs a situação caótica que acomete as santas casas e hospitais filantrópicos do País, cuja dívida total chega a R$ 21,5 bilhões.