Envie seu vídeo(11) 4745-6900
quarta 22 de setembro de 2021

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 22/09/2021
PMMC REDESCUBRA MOGI
PMMC REDESCUBRA MOGI - TODA QUINTA
CREA-SP
SEC DE GOVERNO - CAMPANHA: CORONAVIRUS - VALE GÁS - FASE II

Impactos do atentado às Torres Gêmeas ainda são sentidos

No mês passado, o Taleban tomou o poder no Afeganistão; ataque gerou inúmeras mudanças em leis pelo mundo

Por Daniel Marques - da Redação11 SET 2021 - 18h00
Após retirada de tropas americanas, Taleban tomou o poder no AfeganistãoFoto: Reuters/Direitos reservados
Mesmo após duas décadas, as consequências do atentado às Torres Gêmeas seguem sendo sentidas. Além das inúmeras mudanças econômicas, culturais e em diversas legislações, o Afeganistão vive intensa mudança política, já que no fim do mês passado, as tropas americanas - que invadiram o País após o atentado para evitar que novos ataques fossem planejados contra os Estados Unidos - foram retiradas do Afeganistão pelo governo de Joe Biden, obedecendo acordo feito em fevereiro do ano passado entre o Taleban e o ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.
 
O início da retirada das tropas fez com que o Taleban tomasse o poder de todo o território afegão rapidamente. Durante a retirada dos militares americanos, milhares de civis afegãos tentaram fugir pelo Aeroporto de Cabul - porta de entrada e saída do País -. Muitos se aglomeraram no local, e um novo ataque terrorista foi realizado pelo Estado Islâmico. Ao menos 180 pessoas - incluindo 13 militares americanos - morreram em duas explosões.
 
Em resposta rápida, os Estados Unidos efetuaram um ataque com drones contra membros do Estado Islâmico, matando dois na província de Nangarhar, no leste do Afeganistão. Forças americanas informaram que, entre os alvos, estava o membro que planejou o ataque ao aeroporto.
 
Essa sucessão de acontecimentos fez com que a política afegã borbulhasse com o Taleban no poder do País, localizado no Oriente Médio. Por outro lado, na América do Norte, o Departamento de Defesa dos Estados Unidos compartilhou a foto do último militar que deixara o território afegão e colocara fim a uma guerra que durou 20 anos. 

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias