Envie seu vídeo(11) 97569-1373
sábado 25 de maio de 2019

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 24/05/2019
PMMC MAIO AMARELO
PMMC MEGAMUTIRAO
centerplex 23 a 29/05
PMMC GRIPE
PMMC SEGURANÇA
Tragédia em escola

Atiradores mantinham comportamentos suspeitos nas redes sociais

Um dos ex-alunos da escola Raul Brasil era menor de idade

Por Aline Moreira - de Suzano13 MAR 2019 - 14h38
Imagens da última postagem no Facebook de GuilhermeFoto: Reprodução Facebook

O tiroteio na escola estadual Raul Brasil, localizado no Parque Suzano, foi causado por dois ex-alunos da instituição, Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, e Luiz Henrique de Castro, de 25 anos. Ambos tinham comportamentos suspeitos nas redes sociais e segundo informação de ex-alunos da escola, também se comportavam de maneira estranha nas aulas.

Na página do Facebook de Guilherme Monteiro (que está como Guilherme Alan), uma publicação foi feita minutos antes do atentado. Na postagem, Guilherme exibe 29 fotos com a possível arma do crime e com a roupa que foi usada no momento da tragédia, incluindo a máscara de pano com desenho de caveira, que cobre metade do rosto, que foi usada para impedir a identificação.

Já no perfil de Luiz, fotos de armas eram frequentes assim como imagens de jogos violentos que envolviam disparo de armas de fogo. Luiz iria completar 26 anos nesse sábado (16).  Além disso, foi observado nos dois perfis, publicações de bandas de metal, conteúdos de cunho anarquista e nacionalista e uma postagem do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL).

AÇÃO

Os atiradores chegaram à escola por volta das 9h da manhã, horário de intervalo dos alunos, segundo a Polícia Militar (PM). Os dois chegaram em um carro branco, que supostamente foi roubado de uma agência de carros próxima ao local, que inclusive seria de propriedade do tio de Guilherme.

Um áudio que circula pelos aplicativos de mensagens, informa que o atirador Guilherme sofria de depressão e que decidiu atacar a escola porque havia sido expulso. Ainda segundo informações do áudio, o tio de Guilherme, Jorge Antônio de Moraes, dono da agência, descobriu as intenções do jovem e tentou impedi-lo, momento em que foi baleado.

Moraes segue em cirurgia no Hospital das Clinicas (HC) em São Paulo.

Os dois atiradores utilizaram 4 armas do tipo Jet Loaders (peças de plástico usadas como carregadores), uma arma de calibre 38, uma besta (arma medieval que dispara flechas), uma  caixa que aparentava ser explosivo e garrafas montadas com coquetéis molotov.

Após o tiroteio, ambos cometeram suicídio. A PM confirma até o momento, 10 mortes. 

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias