sábado 20 de abril de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 20/04/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Violência

Poá vive onda de crimes violentos com dois casos de latrocínio em uma semana

Em caso mais recente, o agente de segurança Anderson Gomes Sirqueira foi baleado e morto em frente a esposa e ao filho, de 2 anos

08 setembro 2017 - 14h38Por Marcus Pontes - de Poá

Poá vive uma onda de crimes violentos. Em uma semana, a cidade registrou dois casos de latrocínio – roubo seguido de morte. O DS publicou nesta semana levantamento mostrando que as ocorrências deste tipo de crime quadriplicaram neste ano no Alto Tietê. E o município poaense é o responsável pelo maior aumento. Foram quatro casos de janeiro a julho, além de mais duas mortes que não foram contabilizadas.

O caso mais recente ocorreu nessa quinta-feira (7) em plena luz do dia. Era por volta do meio-dia, quando assaltantes ameaçaram o agente de segurança Anderson Gomes Sirqueira, de 35 anos, e a esposa dele. O crime foi na Rua Araraquara, no Jardim Antonio Picosse.

A vítima entregou o solicitado, mas reagiu e lutou com um assaltante. O ladrão atirou e o atingiu no pescoço. Sirqueira foi baleado em frente à esposa e o filho, de 2 anos. Os suspeitos fugiram sem levar nada. A Polícia Militar (PM) acredita que eles fugiram sentido a comunidade da Tubulação, em Itaquaquecetuba.

Sirqueira foi resgatado com vida ao Hospital Guido Guida. Ele morreu logo depois. Câmeras de monitoramento filmaram a ação. As imagens serão disponibilizadas à Polícia Civil para tentar identificar os assaltantes. Até o momento, os suspeitos não foram identificados.

Outro caso

Na última quinta-feira (31), o município registrou outro latrocínio. O enfermeiro Roner Ferreira Coutinho, 24 anos, foi morto depois de negar a entregar a mochila a assaltantes, entre a Rua Prefeito Francisco Rodrigues Filho e o Viaduto Tancredo de Almeida Neves, no Centro de Poá. O Setor de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP) de Mogi das Cruzes investiga o caso. A polícia já analisa imagens de monitoramento de câmeras que ficam próximas ao local do crime.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também