Envie seu vídeo(11) 97569-1373
terça 20 de agosto de 2019

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 19/08/2019
CENTERPLEX 15 A 21/08
PMMC - TRATA BRASIL

Polícia Civil identifica mandante de execução de funileiro na Estrada Fazenda Viaduto

Vítima foi morta quando trafegava de moto pela estrada em dezembro do ano passado; suspeito também é apontado como mandante de outro assassinato

Por Marcus Pontes - da Região24 MAI 2019 - 17h52
Walfrido foi morto em dezembro do ano passado, na Estrada Fazenda ViadutoFoto: Marcus Pontes/DS
O Setor de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP) de Mogi das Cruzes divulgou nesta sexta-feira, 24, ter identificado o suspeito de encomendar o assassinato do funileiro Walfrido Francisco Chagas, 61 anos, em dezembro do ano passado, na Estrada Fazenda Viaduto, em Suzano. De acordo com o delegado Rubens José Ângelo, as investigações prosseguem para identificar o atirador. 
 
O delegado explicou que o mandante do crime estava preso, por porte ilegal de arma de fogo, em razão de uma investigação do 22° Distrito Policial (DP) de São Miguel Paulista, Zona Leste de São Paulo. “As investigações identificaram-o, inclusive obtivemos permissão da Justiça para quebra de sigilo telefônico”, disse Rubens. 
 
Para o responsável pelas investigações, as conversas interceptadas foram cruciais para que, além de identificar o mandante do crime, pudessem descobrir o responsável por assassinar o funileiro. “Na época, a vítima foi atingidas por disparos de arma de fogo nas costas”.
 
Segundo o delegado, Chagas foi assassinado por ter se passado por integrante de uma facção criminosa. “Ele (vítima) teria obtido vantagem ilícita. Por isso, foi dada ordem para matá-lo”, informou o delegado. 
 
Segunda execução
 
 
A morte do funileiro não é a única pela qual o suspeito deverá responder. Isto porque, segundo as investigações, ele também encomendou a morte de David Alves de Barros. O crime aconteceu em novembro do ano passado, na Vila Lavínia, em Mogi das Cruzes.  
 
“Agora, os esforços serão para identificar o atirador de aluguel e prendê-lo”, enfatizou Rubens. 
A Justiça expediu mandado de prisão temporária contra ambos suspeitos.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias