Envie seu vídeo(11) 97569-1373
domingo 16 de junho de 2019

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 15/06/2019
PMMC UPA JUNDIAPEBA
CENTERPLEX 13 A 19/06
PMMC JUNHO VERDE
PMMC AGASALHO

Polícia Civil identifica mandante de execução de funileiro na Estrada Fazenda Viaduto

Vítima foi morta quando trafegava de moto pela estrada em dezembro do ano passado; suspeito também é apontado como mandante de outro assassinato

Por Marcus Pontes - da Região24 MAI 2019 - 17h52
Walfrido foi morto em dezembro do ano passado, na Estrada Fazenda ViadutoFoto: Marcus Pontes/DS
O Setor de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP) de Mogi das Cruzes divulgou nesta sexta-feira, 24, ter identificado o suspeito de encomendar o assassinato do funileiro Walfrido Francisco Chagas, 61 anos, em dezembro do ano passado, na Estrada Fazenda Viaduto, em Suzano. De acordo com o delegado Rubens José Ângelo, as investigações prosseguem para identificar o atirador. 
 
O delegado explicou que o mandante do crime estava preso, por porte ilegal de arma de fogo, em razão de uma investigação do 22° Distrito Policial (DP) de São Miguel Paulista, Zona Leste de São Paulo. “As investigações identificaram-o, inclusive obtivemos permissão da Justiça para quebra de sigilo telefônico”, disse Rubens. 
 
Para o responsável pelas investigações, as conversas interceptadas foram cruciais para que, além de identificar o mandante do crime, pudessem descobrir o responsável por assassinar o funileiro. “Na época, a vítima foi atingidas por disparos de arma de fogo nas costas”.
 
Segundo o delegado, Chagas foi assassinado por ter se passado por integrante de uma facção criminosa. “Ele (vítima) teria obtido vantagem ilícita. Por isso, foi dada ordem para matá-lo”, informou o delegado. 
 
Segunda execução
 
 
A morte do funileiro não é a única pela qual o suspeito deverá responder. Isto porque, segundo as investigações, ele também encomendou a morte de David Alves de Barros. O crime aconteceu em novembro do ano passado, na Vila Lavínia, em Mogi das Cruzes.  
 
“Agora, os esforços serão para identificar o atirador de aluguel e prendê-lo”, enfatizou Rubens. 
A Justiça expediu mandado de prisão temporária contra ambos suspeitos.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias