domingo 21 de abril de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 21/04/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Região

Atendimento até as 23h impacta cerca de 6 mil bares e restaurantes

Ampliação do horário de funcionamento foi divulgada nesta quarta-feira pelo governador João Dória

09 julho 2021 - 11h00Por Matheus Cruz - da Região
A ampliação do horário de atendimento até às 23 horas, anunciado nesta quarta-feira (7) pelo governador João Dória (PSDB) beneficiará pelo menos 6 mil padarias, restaurantes e bares localizados no Alto Tietê. A estimativa é do presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Mogi das Cruzes e Região (Sincomércio), Valterli Martinez. 
 
A flexibilização passa a valer a partir desta sexta-feira (9) e atenderá principalmente o setor de alimentos, como restaurantes e pizzarias, que até o momento estavam impedidos de funcionar após às 21 horas. 
 
Na avaliação do presidente do Sincomércio, a nova medida é positiva e marca o início de uma nova fase para os donos destes estabelecimentos que esperam a retomada econômica. 
 
“É um setor que vem sendo castigado desde o início da pandemia com tantas restrições. O horário da noite é quando eles mais vendem, então a ampliação é resultado de tudo o que viemos lutando todo esse tempo”, comenta Valterli Martinez. 
 
Segundo ele, é a chance que estes estabelecimentos terão para, enfim, equilibrar as contas que há meses estão no vermelho. Apesar da ampliação, o "toque de recolher" entre as 23h e 5h está mantido, podendo mudar de acordo com cada decreto municipal. O horário de atendimento expandido ainda está longe do considerado ideal para os profissionais que atuam em restaurantes e bares, já que muitas vezes o funcionamento ocorria até a madrugada. Entretanto, Valterli destaca que foi uma decisão acertada de João Dória. 
 
“É uma decisão acertada do governador. Está claro que não são os comerciantes que promovem aglomerações. Ao contrário, acredito que com o funcionamento expandido, fique mais fácil de haver o controle entre os clandestinos e quem realmente é legalizado”, avalia. Desde o início da série de restrições, a entidade reivindicava maior transparência dos critérios adotados pela equipe responsável pelo Plano São Paulo, já que, segundo Valterli, muitos comércios eram fechados injustamente.

Deixe seu Comentário

Leia Também