sábado 24 de fevereiro de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 24/02/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Região

Sindicatos analisam situação com as novas gestões de Lula e Tarcísio

Após as eleições no final de outubro, os sindicatos da região almejam comunicação entre os poderes e melhora nos salários dos trabalhadores

13 novembro 2022 - 20h00Por Ingrid Leone - da Região
Após as eleições no final de outubro, os sindicatos da região almejam comunicação entre os poderes, investimento na economia, educação, saúde e melhora nos salários dos trabalhadores. 
 
O DS entrevistou representantes dos professores, servidores públicos e do comércio varejista para entender o que as categorias aguardam do governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), novo presidente eleito, e Tarcísio de Freitas (Republicanos), novo governador eleito. 
 
O presidente do Sindicato dos Professores de Mogi das Cruzes e Região (Sinpro), Marco Antonio Porto de Alvarenga, aspira por uma pausa na polarização política e foco nas ações de interesse das pessoas. 
 
“Espero que estes novos governos deixem de lado a guerra política e governem o país olhando, principalmente, para os interesses do povo, se preocupem com a educação, a saúde e os salários dos trabalhadores, que deixem a corrupção de lado e trabalhem efetivamente para nós, como prometem, e não para os próprios interesses”.
 
O tesoureiro do Sindicato dos Trabalhadores da Administração Pública Municipal de Mogi das Cruzes e Guararema (Sintap), Paulo Ricardo, conta com o restabelecimento das funções do Ministério do Trabalho e Emprego - extinto no início do mandato do atual presidente Jair Bolsonaro (PL). 
 
“O trabalhador ficou órfão, sem onde recorrer para garantir, no mínimo, as discussões de seus direitos trabalhistas. Hoje, apenas o Ministério Público do Trabalho ajuda”, explica Ricardo.
 
O presidente do Sintap também espera que o novo governo dê início ao direito de greve do servidor público.
 
Especificamente na nova gestão estadual, de Tarcísio, Ricardo diz que “é uma incógnita”. Aguarda que cumpra as ações disponíveis no Plano de Governo, como a redução no imposto e em produtos da cesta básica, e que “não cumpra a ideia de vender a Sabesp”, alerta Ricardo. 
 
Durante a campanha eleitoral, o republicano comentou diversas vezes sobre possível privatização da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). 
 
O sindicato dos servidores públicos deve reivindicar nos próximos anos a ponte entre Estado e municípios.
 
“Durante os últimos seis anos, não foi fácil negociar com os prefeitos. Espero um futuro com expectativas, para podermos, como representantes de servidores públicos, reivindicar melhores salários para recuperar o poder de compra, a qualidade nas condições de trabalho, diminuindo o absenteísmo no trabalho, melhorias no lazer e bem estar para as famílias”. 
 
No setor da economia, o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Mogi das Cruzes e Região (Sincomércio), Valterli Martinez, apresenta os dados e informa como 70% dos empregos no país são fruto deste mercado. 
 
A partir desse número expressivo, o setor espera estabilidade e diminuição de taxas para os comerciantes. 
 
No governo de Lula, Martinez almeja para a categoria reivindicações como a manutenção da reforma trabalhista, reestruturação dos impostos para que seja diminuída a carga tributária em cima dos pequenos empresários. 
 
Na gestão de Tarcísio, “é importante aprovar - como ele prometeu - leis de incentivo da criação de novos empregos e incentivo ao crescimento dos comerciantes, especialmente o pequeno e médio comerciante que sustenta a máquina do Estado”, reforça o presidente do Sincomércio . 
 
“Um governo não só populista, mas que venha de ações concretas, para que a gente possa aumentar a renda, tanto dos comerciantes como do comerciário”, diz Martinez. 

Deixe seu Comentário

Leia Também