sábado 22 de junho de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 21/06/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Suzano

Rachaduras e infiltrações se mantêm em conjunto habitacional

Reclamação de moradores tem sido constante. Eles cobram também melhorias em via de acesso

21 março 2019 - 23h56Por Daniel Marques - de Suzano
Praticamente um mês já se passaram da primeira reclamação e os moradores do condomínio Solar das Hortências, no Boa Vista, continuam pedindo providências para as condições estruturais dos prédios. Também cobram manutenção na Estrada do Ribeirão. 
 
Eles dizem que receberam os apartamentos em boas condições. Mas com o passar dos dias, rachaduras, infiltrações no teto de todos os andares e mofo nas paredes apareceram tiram a paz dos moradores. Além disso, a Estrada do Ribeirão que dá acesso ao condomínio está esburacada. "Estamos aqui há nove meses reclamando. Morávamos em Palmeiras. Disseram que era área de risco. Nos tiraram de lá para colocar aqui", disse Wanderson da Silva Santana, 27, autônomo e morador do condomínio.
 
Os valores dos condomínios também são um problema, segundo eles. Wanderson afirma que as mensalidade são altíssimas para famílias de baixa renda. "Se ficarmos três meses sem pagar, há o risco de despejo. O gás e o IPTU são muito caros."
 
"Vamos ao prédio da habitação e falam que vão enviar á Prefeitura. Na MRV, pedem para abrir ‘ordem’ na Caixa. Na Caixa, abrimos um protocolo. Ficam jogando um para o outro, irritando os moradores que não tem culpa de nada", disse.
 
Tatiane Aparecida, 31, é auditora e moradora do local. Ela conta que funcionários da construtora compareceram recentemente ao local para pintar as partes mofadas da parede. "Estava fora e quando cheguei, encontrei os funcionários passando tinta".
 
"Meus móveis estavam encostados na parede e mofaram. Pedimos para resolverem, mas falam que só virão quando as chuvas passarem. Enquanto isso, meus filhos correm riscos", contou.
 
Eunice Fonseca, 37, é auxiliar de produção e mora no condomínio. Ela afirma que está tentando resolver o problema há muito tempo e não consegue. "Já são três meses de problemas. Falam que vão mandar o 'pessoal da cadeirinha' para resolver, e até agora nada. A rua está esburacada, falaram que viriam arrumar. Tamparam os buracos e quando choveu, abriu de novo."
 
Até o fechamento da matéria, a construtora MRV Logística não havia se pronunciado sobre o caso, apesar dos contatos feitos pela reportagem. 

Deixe seu Comentário

Leia Também