sexta 12 de abril de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 12/04/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Lance Livre

Lance Livre 16/05/2017

16 maio 2017 - 08h00

Uso das redes sociais O prefeito de Suzano, Rodrigo Ashiuchi (PR), tem utilizado as redes sociais para se comunicar com os moradores de Suzano e fazer anúncios. Maquinários Ontem, ele revelou que foram apresentados os maquinários da empresa contratada pela Prefeitura para realizar o trabalho de tapa-buracos. Pelo Facebook Pelo Facebook, Ashiuchi endossou a informação que havia dado de manhã, durante entrevista à imprensa: até o final desta semana, entre sexta-feira e sábado, as máquinas já estarão nas ruas em tempo integral (manhã, tarde, noite e madrugada). Três meses Disse que em três meses, no máximo, o problema mais crítico de buracos já começa a ser equalizado. Manifestação nas redes sociais Na sexta-feira, Ashiuchi já havia se manifestado nas redes sociais sobre a greve proposta pelos servidores públicos. Diálogo Na ocasião, pregou o diálogo e apresentou as dificuldades financeiras da Prefeitura. INSS Um projeto de lei em análise na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado (CAE) trata da renegociação de dívidas dos Municípios com o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) com o objetivo de diminuir o déficit da Previdência e permitir que as prefeituras possam quitar seus débitos. Análise Se aprovada pelo colegiado, a proposta poderá seguir diretamente para análise dos deputados em Plenário. Autor O autor do projeto, senador Eduardo Amorim (PSDB-SE), explica que a proposta procura amenizar a situação atual dos municípios com a previdência: nove em cada dez cidades brasileiras tem dívida previdenciária, sendo que o valor chegou em quase R$ 100 bilhões em 2016. O texto assegura o parcelamento das contas vencidas até 31 de março de 2017, também autoriza o desconto do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) de prestações mensais de até 0,5% da receita corrente líquida das prefeituras em um prazo de no máximo 200 meses.