domingo 19 de maio de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 19/05/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Cultura

Liderar é uma das missões da secretária de Administração

Formada em Direito, advogou por um período em escritório próprio em Suzano. Em 2009, foi convidada para atuar como secretária

11 abril 2024 - 08h00Por Ana Karina Talarico - De Suzano
"Os desafios são constantes e diários. Somos mais de 5 mil servidores, em 18 secretarias, sendo que a Administração se envolve em todas elas. Liderar esse grande time é uma missão que abracei há anos e temos evoluído cada dia mais", afirma a secretária de Administração Cintia Lira. Executiva, mãe de cinco filhos, ela se desdobra entre a família e o comando de uma das pastas da Prefeitura de Suzano.
 
Confira a entrevista que ela concedeu ao Diário de Suzano.
 
DS: Como começou sua carreira na administração pública?
 
Cintia: Sou formada em Direito, tendo advogado por um período em um escritório próprio aqui em Suzano. Contudo, em 2009, fui convidada para atuar como secretária de Assuntos Jurídicos da Prefeitura de Guararema, na gestão do então prefeito e agora deputado federal Marcio Alvino. Foi ele quem me abriu as portas da vida pública e foi onde eu me encontrei. Amo atuar no Poder Executivo, participando ativamente da criação de políticas públicas para o bem de uma cidade.
 
DS: Quais os desafios à frente da secretaria de administração de Suzano?
 
Cintia: A Secretaria de Administração, em Suzano, é muito ampla. Cuidamos de pelo menos seis setores, atendendo as demandas correspondentes ao departamento de gestão de pessoas (recursos humanos), do serviço especializado em engenharia de segurança e em medicina do trabalho, da administração de cemitérios municipais e velório, do departamento de manutenção dos prédios públicos, do departamento de protocolo geral e do setor de tecnologia. Além disso, também contamos com o Núcleo de Acompanhamento aos Servidores (NAS) e a Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa).
 
DS: Você já enfrentou preconceito por ser mulher à frente de uma secretaria tão importante?
 
Cintia: Acredito que o machismo, assim como racismo, é uma questão estrutural e inevitavelmente estamos sujeitos a esse arranjo social que hoje, felizmente, vem sendo desconstruído. Como mulher, em posição de liderança, entendo que meu papel de representatividade é importante e faço questão de incentivar ações dentro da administração pública que criem oportunidades de crescimento e igualdade. Um exemplo é o Programa Municipal de Qualificação Profissional e Alfabetização, que no último mês de dezembro abriu 400 inscrições contando com 12 reservadas para pessoas com deficiência (PCDs) e outras 20 para mulheres vítimas de violência.
 
Graças a Deus, ao prefeito Rodrigo Ashiuchi e a primeira-dama Larissa Ashiuchi, consigo imprimir muito do meu coração dentro do trabalho. Destaco aqui importantes projetos que realizamos em apoio aos servidores, como o "Aconchego", do NAS, voltado ao acompanhamento a gestantes, adotantes e servidoras em licença-maternidade. Esse acolhimento faz total diferença para as servidoras neste momento de início da maternidade.
 
Também temos o "Amigo estou aqui!", de orientação geral, incluindo psicológica, a servidores que estão prestes a se aposentar; o "A-Manhã-Ser", para prática de terapias alternativas, como Auriculoterapia e Lian Gong, por exemplo; "Trocando Ideias", de aproximação com os servidores para melhorar o ambiente de trabalho, entre outros.
 
DS: Como você vê o papel da mulher hoje no mercado de trabalho? Deixe um recado pra elas?
 
Cintia: Vejo que, apesar de muitas e inquestionáveis conquistas, ainda temos um extenso caminho pela frente. O recado que deixo para as mulheres e, inclusive sempre reforço com minhas filhas, é para que nunca duvidem do seu potencial. Mais importante do que nunca desistir dos sonhos é acreditar na sua própria capacidade. Ninguém segura uma mulher segura de si! 
 
DS: Quem é a Cintia fora da prefeitura?
 
Cintia: Sou uma mulher apaixonada pela vida e por todas as suas fases. Sou uma trabalhadora incessante, na prefeitura e em casa, sou mãe, sou filha de uma mulher linda e forte, sou amiga e procuro dar sempre o meu melhor em todas as versões.
 
DS: Quais seus hobbies?
 
Cintia: Gosto muito de uma boa conversa entre amigos e de estar com os meus filhos, seja em casa, seja viajando, seja trabalhando. Minha melhor companhia é sempre eles.
 
DS: Você tem cinco filhos. Qual o maior aprendizado que você tira do "maternar"?
 
Cintia: Tenho cinco filhos, meus amores: Pedro, Paulo, Natiele, Laís e João Gabriel. Já são mais de 20 anos nessa jornada da maternidade e hoje posso dizer que ser mãe é um dos maiores presentes de Deus na minha vida. O maior aprendizado é, sem dúvida, ter conhecido e vivenciado esse amor mais puro, genuíno e incondicional. 
 
DS: O que significa a família na sua vida?
 
Cintia: Na minha vida, família significa cuidado, zelo e amor pelo próximo. Em nossos projetos do NAS, que além da maternidade também tem foco total na saúde mental, aprendi muito sobre as várias configurações de família. Ter essa troca de percepções me fez ver que, muitas vezes, a família não se limita a laços sanguíneos. Família é estar ao lado de pessoas que te acolhem, que te fazem bem e que te trazem o sentimento de pertencimento.