sábado 20 de abril de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 20/04/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Cultura

Peça ‘Antígonas’ será apresentado na sede do Contadores de Mentira

Adaptada de um texto clássico do dramaturgo Sófocles, montagem será encenada pela Cia. Fábrica São Paulo no dia 12

05 agosto 2017 - 06h45Por de Suzano
O espetáculo “Antígonas” será apresentado no próximo dia 12, em Suzano, às 20 horas. A atração será encenada pela Cia. Fábrica São Paulo na sede do grupo Contadores de Mentira. O ingresso é no estilo colaborativo, com preço sugerido de R$ 5. A classificação é livre.
 
A trupe de São Paulo apresenta uma adaptação do texto clássico do dramaturgo grego Sófocles numa versão popular para teatro de rua. De um modo claro, mas sem perder a força da história, esta tragédia escrita em 440 a.C. ganha uma nova roupagem e uma aproximação com o tempo atual. A intolerância de Creonte e a transgressão de Antígona colocam esta peça como a mais atual entre todas as peças gregas.
 
Uma das sete peças sobreviventes do grego Sófocles, a tragédia "Antígona" tem início um dia após o exército de Argos ter sido derrotado nos portões de Tebas. Os dois filhos de Édipo, Etéocles e Polinice, legítimos herdeiros do trono tebano, lutaram em lados opostos e foram mortos um pelas mãos do outro. 
Com a vacância do trono o seu tio Creonte proclama-se rei e anuncia seu primeiro decreto: Eteócles que lutou na defesa de Tebas será sepultado com todas as honras que merecem os grandes heróis, quanto a Polinice, que lutou ao lado do inimigo, este permanecerá insepulto e seu corpo ficará exposto a sanha das aves carniceiras. Antígona, sentindo o direito de enterrá-lo, contrapõe o decreto real e sepulta o irmão. Ao saber de sua transgressão, Creonte intransigente não dá ouvidos aos apelos de todos e condena Antígona à morte, desencadeando uma série de acontecimentos trágicos.
 
Montagem
 
A encenação, com duração de 60 minutos, nasce de uma proposta cenográfica da Cia. Fábrica São Paulo para o diretor Mário Santana. Uma carretinha baú, utilizada no próprio transporte dos materiais de cena, desdobra-se numa estrutura de seis palcos que somados a três plataformas móveis elevam o elenco do chão, possibilitando mais visibilidade das cenas e das músicas, tocadas e cantadas ao vivo pelos próprios atores. 
 
A dramaturgia elaborada por Calixto de Inhamuns propõe aos atores serem ora narradores, ora personagens que povoam a tragédia de Sófocles e, numa linguagem acessível a todos, traz o teatro épico e o dramático para a cena, numa harmoniosa combinação.
 
Serviço
 
A sede do Contadores de Mentira está localizada na Rua Major Pinheiro Froes, 530, Parque Maria Helena.