Envie seu vídeo(11) 97569-1373
Sintonize nossa Rádio101.5 FMClique e ouça ao vivo
Domingo 21 de Janeiro de 2018

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 20/01/2018

Corinthians recebe a Ponte Preta na abertura das quartas do Paulistão

11 ABR 2015 - 08h01

O Corinthians tenta confirmar o favoritismo e a ótima fase diante da Ponte Preta, hoje, às 16h20, no Estádio Itaquerão, em São Paulo, na abertura das quartas de final do Campeonato Paulista. A equipe terminou a primeira fase com 37 dos 45 pontos disputados e está invicta há 23 jogos na temporada - só perdeu na estreia, em um amistoso para o Colônia, da Alemanha, nos Estados Unidos.

A campanha avassaladora, no entanto, só garantiu ao time alvinegro a vantagem de jogar em seu estádio com o apoio da torcida. As quartas de final serão disputadas em partida única. Se ela terminar empatada, a decisão vai para os pênaltis.

Ciente de que qualquer vacilo pode ser fatal, o técnico Tite fez todo o elenco treinar cobranças de pênalti nos últimos dias. Até os goleiros Cássio e Walter fizeram algumas cobranças. O treinador exige atenção total dos seus jogadores, sobretudo na bola parada, uma das deficiências da defesa. Ontem, a maior parte do treinamento foi dedicada a essa tipo de jogada.

A Ponte Preta é vista como o pior adversário que o time poderia enfrentar nas quartas de final. Na primeira fase, ganhou de Santos (em Campinas) e Palmeiras (no Estádio Allianz Parque, em São Paulo), por exemplo. "Considero a Ponte o melhor time do interior, por ser de Série A do Campeonato Brasileiro e ter uma equipe forte e competitiva. Mas, entre os quatro grandes, nossa equipe também é a mais preparada e estamos jogando decisões desde o início do ano", disse o volante Elias, que completa hoje 200 jogos pelo Corinthians.



PONTE PRETA

A Ponte Preta encara o Corinthians pela terceira vez nas quartas de final nas últimas quatro edições do Paulistão E o técnico Guto Ferreira espera aproveitar as experiências anteriores, de vitória e de derrotas, como lição para o duelo de hoje.

Em 2012, o meia Renato Cajá estava em campo na vitória heroica da Ponte Preta por 3 a 2, no Pacaembu. "Nós marcamos muito forte os caras no primeiro tempo. O (Emerson) Sheik e o Danilo não andaram pelos lados. Temos que manter esta pegada, marcar forte e sair com a nossa qualidade", indicou o meia, apontado como o homem que pode desequilibrar.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias