Envie seu vídeo(11) 97569-1373
Sintonize nossa Rádio101.5 FMClique e ouça ao vivo
Quinta 23 de Novembro de 2017

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 23/11/2017
mrv

Isaquias Queiroz conquista ouro para o Brasil na canoagem do Pan

14 JUL 2015 - 08h00

Em disputa na canoagem dos Jogos Pan-Americanos, em Toronto, no Candá, Isaquias Queiroz ficou no lugar mais alto do pódio ao vencer na manhã de ontem a final da prova de C1 mil metros. Foi o quinto ouro do Brasil na competição.

Isaquias fez uma ótima prova na final e ganhou com uma boa vantagem sobre o segundo colocado, o canadense Mark Oldershaw. O brasileiro finalizou a disputa em 4m07s866. O bronze foi para Jose Cristobal, do México.

"Eu senti uma grande pressão porque, desde 1999, o Canadá tem dominado esse evento. Eu sabia que meu adversário era um dos favoritos, e também estava ventando um pouco. Mas eu me mantive concentrado nas remadas e fiz meu trabalho", disse Isaquias.

Aos 21 anos, o atleta brasileiro é um fenômeno da canoagem e vem conquistando resultados importantes. Nascido em Ubaitaba, na Bahia, ele foi o primeiro canoísta brasileiro a ser campeão mundial júnior, com vitória na prova de C1 200 metros.

SALTOS ORNAMENTAIS

Depois de passar em branco na prova individual, as brasileiras Ingrid Oliveira e Giovanna Pedroso conquistaram a medalha de prata nos saltos ornamentais sincronizados plataforma 10 metros. Com 291,36 pontos, a dupla brilhou na sequência de maior dificuldade para subir ao pódio. O último salto foi decisivo para dar o ouro para o Canadá, já o México levou o bronze.

As donas da casa Meaghan Benfeito e Roseline Filion começaram a prova na ponta, com um primeiro salto de menor grau de dificuldade. As mexicanas Paolo Espinosa e Alejandra Orozco tiveram a segunda melhor pontuação e as brasileiras vieram logo na sequência, com as norte-americanas coladas. Já as cubanas não ofereceram risco algum durante toda a competição, com um nível bem abaixo das adversárias.

As posições continuaram as mesmas após a segunda sequência se saltos. As líderes repetiram a pontuação, enquanto as outras duplas não tiveram desempenho suficiente para diminuir a distância. Com um alto grau de dificuldade, o terceiro salto foi fundamental para a medalha da dupla brasileira. Ingrid e Giovanna fizeram o melhor salto da rodada, com 73,92, e encostaram nas canadenses. As anfitriãs cederam a liderança para as atletas do México.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias