Envie seu vídeo(11) 97569-1373
Sintonize nossa Rádio101.5 FMClique e ouça ao vivo
Terça 21 de Novembro de 2017

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 19/11/2017
mrv

PF vai abrir inquérito para investigar corrupção no futebol brasileiro

29 MAI 2015 - 08h00

A Polícia Federal (PF) vai abrir inquérito para saber se o esquema de corrupção na Federação Internacional de Futebol (Fifa), investigado pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos, tem ramificação no Brasil. De acordo com o Ministério da Justiça, as investigações serão centralizadas na Superintendência da PF no Rio de Janeiro.

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, e o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, vão se encontrar nos próximos dias para discutir detalhes do caso. O ministério informou que a PF iria providenciar a abertura do inquérito sobre o assunto.

As autoridades norte-americanas investigam a participação de dirigentes da Fifa e empresários em uma fraude na escolha dos países-sede das duas próximas Copas do Mundo (Rússia, em 2018, e Catar, em 2022). No Brasil, as suspeitas recaem sobre contratos de patrocínio e de transmissão da Copa do Brasil assinados pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

Foram presas, até o momento, 14 pessoas, entre eles sete dirigentes da Fifa, incluindo o ex-presidente da CBF José Maria Marin. Todos foram indiciados por extorsão e corrupção pela Procuradoria de Nova York.

A CBF anunciou na última quarta-feira, em nota, o afastamento de Marin até a conclusão do processo. Ontem, o prédio da sede da CBF, na Barra da Tijuca no Rio, batizado com o nome de Marin na fachada, amanheceu sem o nome do dirigente.

No Senado, duzentos parlamentares assinaram pedido de criação de uma CPI na Casa e a Comissão de Esporte aprovou a formação de um grupo de deputados para ir aos EUA acompanhar as investigações.

Blatter

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, disse ontem, em Zurique, na Suíça, que as denúncias de que alguns dos principais dirigentes da entidade são suspeitos de envolvimento em um esquema milionário de corrupção trouxe "vergonha e humilhação" para o esporte mundial.

Ao discursar durante a abertura do 65º Congresso da Fifa, evento durante o qual será escolhido o próximo presidente da entidade e no qual ele próprio disputa seu quinto mandato, Blatter foi categórico e alertou: "Vêm aí mais más notícias. Muito mais tem que ser feito para garantir que haja ética no futebol e no esporte. Temos a oportunidade de começar a mudança e recuperar a confiança (da opinião pública)", declarou Blatter, cujo nome não está entre os ndiciados pela Justiça dos EUA.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias