Envie seu vídeo(11) 97569-1373
Sintonize nossa Rádio101.5 FMClique e ouça ao vivo
Terça 21 de Novembro de 2017

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 19/11/2017
mrv

Atitude de perdão

20 JUN 2015 - 21h58

SUELIA maioria das pessoas, em uma ou outra ocasião, foi maltratada por alguém. Quando isso acontece, nosso horizonte se torna nebuloso. Ficamos tristes. Lembramos da manipulação, do tratamento injusto, da traição, da rejeição. É terrível sentir-se, de alguma forma, rejeitado. Quem já passou por isso pode-se lembrar do sentimento de abandono, gerado pela rejeição. É mais triste ainda, quando somos vítimas do mal deliberado - alguém nos magoou intencionalmente. Isso aconteceu com José do Egito. Rejeitado, vendido como escravo pelos irmãos, José, agora, muitos anos depois, encontra-se numa situação privilegiada. Poderia vingar-se, mas decide perdoar àqueles que lhe causaram tanto sofrimento: - "Vocês, na verdade, intentaram o mal contra mim; porém Deus o tornou em bem, para fazer aquilo que vocês estão vendo agora - conservar a vida de muita gente, inclusive a de vocês". (Gênesis 50:18-20) A motivação dos irmãos de José foi mesquinha - e ele deixou isso claro. Mas Deus fez todo aquele mal se transformar em bênção para todos eles. Quando reconhecemos a ação de Deus em todos os nossos caminhos, ofuscamos as emoções humanas e as lembranças negativas do nosso passado. Deus não está manipulando títeres. Tudo o que Ele permite tem um propósito, ainda que não consigamos enxergá-lo no momento do sofrimento. Depois que José se revelou aos irmãos, colocou em dia 25 anos de conversa acumulada. Cada vez que os irmãos procuravam mencionar os erros do passado, José os impedia. "Não vamos mais falar nisso; isso pertence ao passado. Deus tinha um plano, e tudo cooperou para o nosso bem e a glória Dele. Vamos falar sobre essas coisas". Se tivéssemos passado pelo que José passou, teríamos essa fala? Até que ponto temos um coração perdoador?

A grandeza é revelada em nossas atitudes. A grandeza surge nas atitudes de humildade e perdão em relação aos nossos semelhantes. José dá o exemplo. Ele sabia perdoar e era misericordioso. Existem muitas possibilidades de nosso coração ficar "endurecido", fechado para perdoar. Nosso coração pode não querer perdoar a pessoa com a qual convivemos, ou a um filho que nos decepcionou, ou ao pai que nos abandonou, negligenciando os cuidados que merecíamos; enfim, há muitos acontecimentos nesse mundo, que nos podem levar à revolta, tornando-nos insensíveis e vingativos, se olharmos os fatos simplesmente pela perspectiva humana. É preciso Deus para " amolecer" e endireitar o coração. Quando tomamos uma atitude errada, mesmo estando certos, contemplamos a vida com olhos puramente humanos. Quando tomamos a atitude certa, olhamos a vida sob a perspectiva divina. Então, Deus, que é justo juiz, vai-nos retribuir de acordo com o que fizermos. Essa é a verdadeira beleza da vida de José. Ele era grande, principalmente, pelas suas atitudes. Aprendemos com Jesus a importância do perdão - ""Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai Celeste vos perdoará; se, porém, não perdoardes aos homens as suas ofensas, tampouco vosso Pai vos perdoará as vossas ofensas". (Mateus 6:14-15) Perdoe para ser perdoado!



--



Sueli Barão

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias